Nas Tristes Sombras da Morte

A noite chega mais uma vez
Trazendo feridas cheias de sofrimento
Em obscuros caminhos que trilho
Sempre na dor procurando alento

Cortes me acariciam mais uma vez
Fui mais uma vez arrancada de meus devaneios
Nestes doces venenos que bebo
Procuro alívio para os meus anseios

Caio no luto mais uma vez
Vago nas tristes sombras da morte
Ouvindo este frágil coração
Que outrora bateu tão forte

Agora restaram apenas cinzas
Da minha alma ferida
Às sombras da morte imploro
Que me tirem logo a vida