A Inteligência Universal

Por Jaqueline Weigel

O que está por trás das forças de mudança do mundo? (Crédito: SU Walls)

É um caminho sem volta. Mais e mais pessoas estão entrando em contato com o futurismo e com o mundo exponencial. É lindo de ver: o que estudiosos e pequenos grupos já discutiam no início de 2016, agora toma conta das notícias e postagens na rede social e na mídia tradicional.

Segundo Peter Diamandis, cofundador da Singularity University, a conexão do planeta, a interface cérebro-computador, a Inteligência Artificial, a abertura da fronteira espacial e as tecnologias exponenciais são as grandes forças que movem o mundo aceleradamente para outro formato.

Um mundo de abundância

Estamos em tempos de abundância, não de escassez. Os novos líderes e trabalhadores navegam no módulo de co-criação, compartilhamento de tudo, co-responsabilidade. O tempo em que o ser humano se comportava como uma pobre vítima do mundo imutável começou o seu fim.

Somos protagonistas agora, e esta consciência vem sendo ampliada rapidamente ao redor do planeta. Quando estudo sobre futurismo, pensamento exponencial e tecnologias, percebo que há algo impossível de compreender com a mente humana como pano de fundo.

Estamos em tempos de abundância, não de escassez (Crédito: Shutterstock)

A sensação é de que a Terra está em ritmo de acasalamento com o universo e submetida a um tipo de força que somos incapazes de explicar, acompanhar ou controlar. Seria muita pretensão atribuir ao homem a explosão demográfica: de 1 para 7 bilhões e de 7 para 10 bilhões.

Já entendemos a Lei de Moore e a Lei dos Retornos Acelerados de Ray Kurzweil, mas quem explica a origem de tudo isto? As coisas começaram a se desenvolver sozinhas e um novo conhecimento vem se espalhando pelo globo, que agora fala abertamente em voltar à Lua, em ir para Marte e em vida fora do Planeta Terra.

Visite o Moon Express e veja que projeto arrojado! Converse com pessoas da NASA e veja o que elas relatam. Visite o Google X, onde projetos secretos e especiais são desenvolvidos. Aeroporto interplanetário, carros que voam, foguetes que transportam pessoas pelo planeta, Hyperloop… inimaginável para nossa mente linear e limitada.

Este é o ponto: precisamos abandonar o modelo mental excessivo, pragmático, controlador e limitado e entrar na terra do faz de conta, das possibilidades, do se deixar levar, do improvável. Quanto de nós estão realmente prontos para viver desta forma?

Falamos sobre computação quântica, teletransporte em 2030, sobre dois objetos no mesmo lugar ao mesmo tempo, sobre velocidade que supera a barreira física, sobre nanotecnologia (poder de manipular a matéria), sobre máquinas que aprendem!

Sempre soubemos que o progresso traria coisas incríveis aos homens, mas aposto que ninguém que já sabe um pouco sobre tudo isto imaginou viver o que estamos começando a viver agora. Sim, é só o começo. Nos próximos 30 anos, a Terra passará por várias revoluções e renascerá.

Como tudo na era digital, a sensação inicial é de que está tudo piorando. Faz parte, e quando chegarmos no ponto de subida da curva exponencial, o salto é quântico. Teremos, enfim, um mundo melhor. Cientistas falam em mágica; céticos ainda duvidam; futuristas estudam; empreendedores trabalham.

Todos temos um papel de extrema relevância nesta obra; não só um propósito pessoal. Um mundo com 10 bilhões de pessoas precisa de tudo e de todos. A tecnologia vai invadir nossa vida e nosso trabalho, gostando você ou não. Tecnologia não é TI, nem hardware.

A Quarta Revolução Industrial

As tecnologias da Quarta Revolução Industrial formam três grupos: físicas, biológicas e digitais, segundo Klaus Schwab do World Economic Forum. Tecnologia e sociedade terão que coexistir, assim como a tecnologia e os negócios. Para 2018, não faça planos lineares.

As tecnologias da Quarta Revolução Industrial são físicas, biológicas e digitais (Crédito: Shutterstock)

Evite planejamentos estratégicos e pessoais complexos e obsoletos. Pense maior, estude as novas ferramentas de gestão, experimente o “Vai Lá e Faz”, como sugere o futurista Tiago Mattos. O modo de viver e trabalhar já mudou: não cometa erros que podem atrasar sua jornada rumo a este mundo novo.

Temos grandes desafios já em 2018:

  • Mantenha o que existe à sua volta em sua melhor versão, mas pense de forma inovadora para o próximo ciclo;
  • Dê atenção a seu aprendizado. Todos estamos na mesma classe, no mesmo ano do mundo. Recomeçamos do zero;
  • Não invista em nada que aprisione você no modelo obsoleto da vida e dos negócios. No futuro breve, não teremos universidades longas, MBA caros, empresas engessadas ou hierarquizadas. Seremos freeworkers, líderes ou empreendedores;
  • Tive o botão curiosidade. Saia do seu ciclo vicioso e dedique tempo para planejar e construir algo novo;
  • Em 2018 seja atrevido.

Abandone o vídeo cassete, a Netflix já está no ar. E novas Kodak surgirão daqui para frente. Conecte-se à força da mudança e ao movimento futurista. Espiritualize-se, que quer dizer busque o sentido da vida e um propósito para sua existência.

Inteligência Universal

No futuro seremos mais ricos, então se desapegue um pouco do dinheiro, do acumular coisas, do comprar e guardar para quando faltar. Estes são pensamentos de escassez. Confie na vida, trabalhe e teste a Lei da Física que diz que cada ação tem uma reação.

A Inteligência Universal abraça e acolhe a Terra em sua jornada evolutiva (Crédito: Shutterstock)

Atrás de todo este movimento existe algo maior, muito inteligente e complexo, que talvez um dia possamos entender ou nominar. Por enquanto poderíamos chamar de Inteligência Universal, que agora abraça e acolhe a Terra em sua jornada evolutiva.

Agora sim faremos parte de um universo maior, iluminado, generoso, mas onde ainda haverá luz e sombra, bem e mal, moral e a falta dela. Não resista, dê boas vindas ao mundo novo, que é fascinante.

Fonte: Futuro Exponencial

Like what you read? Give Futuro Exponencial a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.