Uma empresa em Dubai quer construir o primeiro arranha-céu impresso em 3D

Por Redação

Se bem-sucedido, o projeto levará o potencial da tecnologia para um novo patamar

A empresa de construção civil Cazza Technologies anunciou planos para construir o primeiro arranha-céu impresso em 3D na cidade de Dubai. Com sede na maior cidade dos Emirados Árabes Unidos, a Cazza tem como propósito tornar a construção civil mais rápida, mais econômica e ambientalmente viável.

As impressoras da Cazza já permitem a construção de edifícios complexos em rápida velocidade. Contudo, a empresa decidiu dar um passo “a mais”, a partir de questionamentos de alguns desenvolvedores:

Quando pensamos pela primeira vez na implementação de tecnologias de impressão em 3D, pensávamos principalmente em casas e prédios baixos. Os desenvolvedores continuaram nos perguntando se era possível construir um arranha-céu 3D impresso. Isso nos levou a começar a pesquisar como poderíamos adaptar as tecnologias para estruturas mais altas — Chris Kelsey (CEO)

O projeto aproveitará máquinas já existentes na cidade para iniciar a construção, o que significa que não haverá necessidade de construir guindastes especializados a partir do zero.

Os fundadores da Cazza Technologies: Chris Kelsey (esquerda) e Fernando De Los Rios (direita)

Com o crescimento exponencial da tecnologia, a tendência é que sejam desenvolvidos mais projetos na área, o que viria a tornar a impressão 3D mais barata e acelerar o ritmo de adoção.

Dubai terá o primeiro arranha-céu impresso em 3D do mundo?

A tecnologia de impressão 3D está adquirindo espaço em diversos setores. Na indústria médica, por exemplo, a tecnologia está sendo usada para órgãos e células humanas. Contudo, a aplicação de impressão 3D no campo da construção civil, se comparada ao setor médico, ainda está engatinhando.

Embora outros projetos relacionados à manufatura digital já tenha sido concretizados — como a residência tridimensional impressa em um único dia –, a Cazza poderá ser a primeira empresa a tentar imprimir em 3D um arranha-céu. Se bem-sucedido, o projeto levará o potencial da tecnologia para um novo patamar.

Através de nossas tecnologias, seremos capazes de construir edifícios arquitetonicamente complexos em velocidades nunca antes vistas — Chris Kelsey (CEO)

O lado não tão bom da notícia? A altura do edifício e da data de início o projeto ainda permanecem em segredo, sem previsão de que a empresa revele novas informações para saciar a nossa curiosidade.

Fonte: Futuro Exponencial