Saci

As coisas mais simples são as mais memoráveis. Lembro que na minha infância a família toda se reunia nos natais, e o ponto de encontro era a chácara dos meus avós. Lembro de brincar com meus primos entre as árvores, de colher carambola no pé e levar para a minha vó fazer o suco que só ela sabia fazer com aquele Juicer Phillips Wallita já enferrujado de tanto uso. Lembro de usar o balanço de pneu e de sorrir para o meu avô bebendo chimarrão na cuia elétrica enquanto nos assistia. Mas a parte mais memorável era a noite de natal, quando todos abriam os presentes e as crianças entravam em êxtase. Naquela noite, meu primo mais velho ganhou o melhor presente de todos: uma câmera GO8, o último lançamento da época. Ele se gabou a noite inteira e debochou das outras crianças como era de praxe. No fim da noite, enquanto os adultos se recolhiam, ele chamou todos os primos e disse baixinho que ia sair no bosque aos fundos da chácara para filmar o saci, e que quem fosse realmente corajoso iria junto. O Saci sempre foi a forma que os adultos usavam para nos impedir de entrar no bosque, e deus do céu, como eu tinha medo do Saci. Mas na minha angústia juvenil de fazer parte de um grupinho, eu fui com meu primo, que saiu zombando das outras crianças. Logo na entrada das árvores comecei a me arrepender, o assovio do vento, o canto dos grilos, o fato de ser a primeira vez que fazia algo escondido tudo aquilo me assustava. Seguimos uma quase-trilha enquanto examinávamos receosamente o caminho, até que chegamos numa pequena clareira. Repentinamente um forte redemoinho de vento nos cerca, e pela primeira vez vi o valentão do meu primo tremer de medo. Só podia ser uma coisa. Só podia ser o Saci. Na mesma hora corremos, o mais rápido que podíamos, e o caminho antes tão curto agora parecia gigante. Durante aquela longa corrida ouvimos um leve baque e o rápido vulto da GO8 se estatelando no chão. Na manhã seguinte fizemos nosso melhor para fingir que nada tinha acontecido e tentar comer o bolo de fubá sem demonstrar reação as conversas dos adultos sobre a forte tempestade que aconteceu na noite anterior. Até hoje nossa perigosa aventura está em segredo, e a cada novo natal a mesma pergunta ecoa: “e aí, você não guardou nenhuma gravação antiga daquela sua GO8?”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.