Se está em seus vinte e poucos anos e se sente perdida na vida, deveria ler este livro

Ele mudou minha forma de pensar (duas vezes)

Quando eu tinha apenas dezenove anos de idade eu estava começando a pensar seriamente em meu futuro. Comecei a assistir vídeos do ted.com sobre futuro, sonhos, faculdade e outros assuntos que me preocupavam no momento. Fui assistindo aos vídeos um atrás do outro em busca de alguma luz do que eu deveria esperar para o meu futuro. Foi aí que eu encontrei o TED da doutora Meg Jay que escreveu o livro que mudou minha forma de pensar sobre o meu futuro (duas vezes).

Antes de assistir a esse TED eu estava extremamente nervosa com o meu futuro. Estava vendo as pessoas próximas a mim começarem a fazer coisas realmente boas da vida delas e parecia, diferente de mim, que elas sabiam o que estavam fazendo. Depois de assistir fiquei mais nervosa ainda. Estava praticamente vivendo um dia de cada vez sem pensar muito no futuro que parecia tão longe e irreal. Ver a palestra me fez perceber que poderia ter algo errado no modo como eu estava encarando minha vida naquele momento.

Palestra TED da Doutora Meg Jay Ph. D.

Então, depois de ver a palestra algumas vezes, e descobrir que em março de 2014 o fantástico tinha feito uma matéria sobre o trabalho da doutora Meg Jay e assistir essa matéria algumas vezes também, eu precisava saber o que mais ela tinha a falar sobre aquilo. Decidi comprar o livro dela com o título A Idade Decisiva para entender melhor como eu deveria encarar o meu futuro.

Como disse na introdução, tinha somente dezenove anos quando li esse livro. Ele teve um grande impacto na minha vida. Na época em que li pela primeira vez, estava em um momento de decidir se eu iria me candidatar ou não a vice-presidência da empresa júnior que participava. Ao terminar a leitura caí de cabeça em tudo que eu achava que não iria conseguir mas sabia que se conseguisse seria extremamente definidor para o meu futuro.

Mas, eu ainda não era o público alvo daquele livro, teoricamente, eu ainda era uma adolescente. Sim, eu estava a beira dos meus vinte anos, mas ainda não tinha maturidade e experiência o suficiente para perceber algumas das mensagens que ela passava. Mensagens essas que eu consegui compreender, acredito que não totalmente, na minha segunda leitura.

Algum tempo se passou e eventualmente eu acabei esquecendo de sequer ter lido esse livro. E mais uma vez na minha vida estou em um momento de muitas mudanças, me sentindo um pouco perdida no meio de tudo, então lembrei que ele existia e me pareceu uma boa ideia ler esse livro novamente para me dar um choque de realidade.

O que mais me chamou atenção no livro foi como eu me identificava com algumas histórias que a Dr. Jay contava. As histórias são bem parecidas parecidas com o que eu estou passando ou passei nos últimos dois anos. E mesmo não tendo passado por situações parecidas, conhecia alguém que tinha passado ou estava passando por aquilo. As histórias me mostraram que provavelmente muitas pessoas que conheço, e que não conheço, estão passando pelas mesmas inseguranças que eu e, ao contrário do que eu estava começando a pensar, não sou a única pessoa do mundo que se sente perdida e ansiosa sobre o futuro.

Reler este livro não foi nada confortável. Precisei encarar algumas verdades que, até o momento, estava ignorando completamente e assumir que nem sempre as coisas vão sair do jeito que eu quero.

No final da leitura acabei conseguindo o que eu estava precisando: aquele choque de realidade e uma injeção de ânimo para conseguir assumir o que eu realmente quero da minha vida e colocar os meus projetos em prática.

Para encerrar este texto, me sinto na obrigação de dizer que não existe nenhum livro, filme, vídeo ou palestra que irá mudar a sua vida. Isso só irá acontecer se você estiver com alguma intenção de mudar e tomar ações para que isso aconteça.


Gostou do texto? Clique no coraçãozinho para me ajudar a divulgar.

Deixe um comentário sobre o assunto, me dando algum feedback ou uma sujestão. Isso me ajudaria muito também.

Me siga no twitter @gabifernandalp faço comentários super aleatórios lá que ninguém deve entender