Persona Gamer — Jhennifer Christine

Qual o seu nome? Quantos anos tem e que curso você faz? Por que o escolheu?

Jhennifer (mais conhecida por Libras), tenho 21 anos e faço Administração. Escolhi esse curso porque antes disso fazia Economia Empresarial e Controladoria e percebi que o olhar desse curso era mais técnico do que holístico, o que foi um fator muito decisivo na minha mudança.

Você tem um estilo de game predileto? Quais jogos está jogando/costuma jogar sempre?

MMORPG e Sandbox. Nunca tive muita grana para poder jogar algo de grande porte ou então famoso no momento, então sempre joguei os clássicos do PS2 e alguns poucos jogos de PC. Como a faculdade suga um pouco do tempo de todos eu estou voltando para os clássicos (Ragnarok) e sempre estou jogando Terraria e GH3 com o meu irmão.

Quais consoles já teve? Qual foi que mais te marcou?

NES, PS1, PS2 e o melhor de todos: PC (PC MASTER RACE UHUL). Todos marcaram de certa forma mas o PS2 e o PC tem espaços especiais no meu coração pela ligação que tive com eles. Joguei bastante PS2 com a minha família e PC com os meus amigos durante o ensino médio.

O que ser gamer significa para você? E o que um game significa para você?

Ser gamer significa vencer seus próprios desafios, se desenvolver ao longo dessa jornada e conhecer pessoas MUITO diferentes. Ser gamer pode ser positivo e negativo e já tive que lidar com os dois lados. Nunca foi fácil ser mulher e LGBTT no meio dos games, já que o que mais vemos em fóruns online é o hate com essas duas comunidades. Graças aos cosmos a gente aprende a respirar fundo e dar mute all quando alguém começa a falar algo hahaha. 
Um game significa sempre uma nova aventura a ser descoberta/redescoberta. É uma forma de evoluir sem sair de casa e sempre aprender sobre algo novo.

Qual a melhor experiência que teve com um jogo?

Com certeza foi com dois jogos não tão comuns entre os novos jogadores: um deles é com M.A.R.S. (falecido jogo da LEVEL UP [curiosidade: hoje está como Zombies, Monsters and Robots na Steam de grátis hahaha]) onde eu passava altos sábados jogando com os meus amigos e foi o que criou um laço muito grande entre a minha vivência de mundo e os jogos. Outro foi Terraria que jogo desde seus early days e me acompanha até hoje. Nunca me canso de jogar e é o elo entre eu, meu irmão e o mundo dos games.

Se você fosse para uma ilha deserta com um console (PC, XBOX, PS, etc) e um jogo, quais seriam suas escolhas?

PC e Terraria. Sandbox com a opção de fazer várias coisas diferentes de modos diferentes: ou seja, diversão eterna!

Qual a visão que você tem sobre o futuro no mundo dos games?

Acredito que no fator digital/tecnológico o desenvolvimento de games tem uma grande importância em crescimento hoje em dia. Também no desenvolvimento de games, a profundidade deles e sua influência em como a sociedade se comporta é muito grande (vide jogos em que sua decisão afeta eternamente como o game será [ex.: Undertale]). O mundo dos games também tem aberto um espaço MUITO importante para pessoas que antes eram excluídas desse meio participarem ativamente. LoL é um grande exemplo de um movimento crescente de mulheres e pessoas LGBTT. Me sinto orgulhosa de contribuir com isso porque o meio (seja competitivo ou não) dos games só tem a ganhar com tudo isso!

O que você costuma ouvir enquanto joga?

Rock clássico. É algo já de família curtir isso e sempre que jogo com o meu irmão nós ouvimos isso. Quando jogo sozinha costumo ouvir mais pop ou então charts brasileiros do mundo LGBTT.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.