O Design por trás do Material Design

Como Designer e Contribuidor do GDG de Natal, eu não poderia deixar de falar sobre o Material Design. Linguagem desenvolvida pela Google em 25 de julho de 2014, o Material Design surgiu para ser a nova identidade da marca e dos produtos da Google.

Com estreia no Google Now, o Material Design preza por interação com Objetos táctil voltado para interfaces eletrônicas sem perder os fundamentos de luz, superfície e movimento. É seguindo essa linha que a equipe de Designers do Google projetaram o Material Design, encima de três princípios, em tradução literal são eles, "O Material é metáfora", "Conteúdo é forte, gráfico, intencional", "Movimento fornece significado".

Além dos três principais princípios do Material, Superfícies naturais ao toque, dimensionalidade, padronização, conteúdo, ações claras, usuários iniciam mudanças e animações contextualizadas são fortes em todos os pontos da linguagem.

O Material Design não foi projetado apenas seguindo padrão de forma, cor e luz, ele é interação do inicio ao fim.

Eu resumi sobre cada um dos três principais princípios neste texto, mas nos próximos artigos você vai poder conferir sobre todos.

Princípios

  1. O Material é Metáfora: Projetado para ser um estilo linguístico, o Material Design faz uma comparação de luz, movimento e superfícies físicas reais. No entanto, a flexibilidade do material cria novas possibilidades que substituem as do mundo físico, sem quebrar as regras da física.
  2. Conteúdo é forte, gráfico, intencional: A cor, grids, espaço, tipografia, e uso de imagens são fortemente respeitados no Material Design, agradando aos olhos, eles criam hierarquia, significado e foco.
  3. Movimentação fornece significado: O Movimento fornece e respeita ações do usuário. Todas as ações acontece em um único ambiente, sem quebrar a continuidade da experiência. Como todo o Material

O Material Design está vivo e vive em um mundo como o nosso, um mundo consciente, intencional natural, sensível de material responsivo.