Idiotas

“Idio” é a raiz grega para “próprio”. Na Grécia os “idiotes” eram os homens que não se dedicavam à vida pública, às atividades e assuntos do estado. Os idiotes olhavam apenas o próprio umbigo não manifestando qualquer interesse nos assuntos da Pólis, os assuntos políticos.
A sociedade foi evoluindo, a polis foi ficando maior, as relações políticas mais complexas e o número de políticos e de idiotas também foi crescendo. Com uma sociedade maior, novas necessidades, evolução tecnológica e todas essas coisas modernas as pessoas foram ficando mais loucas, então nasceu a psiquiatria. Os psiquiatras começaram a usar a palavra “idiota” para designar a condição clínica de pessoas portadoras de baixo grau de desenvolvimento intelectual. Todo mundo gostou desta abordagem psiquiátrica e “idiota” passou a ser um insulto muito popular. Como ficaria chato e politicamente incorreto os políticos tratarem as pessoas idiotas de idiotas, inventaram a palavra “eleitor”.
Até hoje, quando me chamam de eleitor eu ouço “idiota”. Não sei se tenho um problema auditivo ou se sou portador da tal condição clínica. Uma hipótese que me ocorre é que talvez eu tenha um gene grego que não aceita a modernidade e insiste em traduzir “eleitor” para “idiota” toda vez que ouço.

Ficam repetindo para nós idiotas, que a mudança, a revolução, está no voto. Idiotas são muito crédulos e, de tempos em tempos, nos sentimos menos idiotas votando no candidato menos pior. Mas logo depois voltamos à nossa confortável condição.
Como estamos todos desesperados para sobreviver em meio a uma eterna crise não temos tempo de aprender e tentar entender as questões políticas. Muito menos tempo ainda temos para participar ativamente. Então vamos nos mantendo idiotas.

Por exemplo: Andam falando em aumentar e ressuscitar impostos para cobrir rombos nos cofres públicos. Minha idiotia não permite que eu entenda porque os políticos não diminuem o tamanho da estrutura, não buscam processos mais eficientes, não reduzem seus benefícios e apertam os próprios cintos, como nós, idiotas, fazemos quando estamos com dificuldades. Fiz um esforço intelectual extremo e acho que descobri porque eles agem assim. É constrangedoramente simples o motivo. Eles só aumentam impostos e os próprios benefícios porque há um grande número de idiotas que sempre paga a conta.
Acho que desloquei um nervo fazendo o esforço intelectual. Desde então estou incomodado, sinto um peso estranho e ando sonhando que me tiram sangue através de uma torneira implantada na nuca. Comecei a ter pensamentos esquisitos, do tipo, afrontar políticos, cobrar atitudes e se negar a pagar. Acho que vou ter que procurar um psiquiatra e pedir que ele revogue o conceito moderno de idiota. Sinto muita falta do antigo. Ontem mesmo comecei a pensar que a única solução seria deixar de ser idiota. Antes pensei que talvez a situação estivesse assim porque idiotas brigam com outros idiotas defendendo seus políticos. Pensei que se houvesse uma grande união de idiotas por uma única causa tudo poderia melhorar. Mas depois pensei melhor (maldito nervo deslocado) e percebi que idiotas unidos serão sempre conduzidos. Por isso não me sai da cabeça a ideia de deixar de ser idiota. Alguém aí conhece um bom psiquiatra?