As responsabilidades de um Product Owner não são suficientes

De onde surgiu o Product Owner?

Product Owner é um personagem originado do Scrum e só quando ele virou um framework para desenvolvimento de software. E ao contrário do que você pode pensar, o Scrum não foi criado por Ken Schwaber e Jeff Sutherland, mas o termo Scrum, além do seu formato de trabalho foi originalmente introduzido em 1986 por Hirotaka Takeuchi e Ikujiro Nonaka em um artigo bem longo e sensacional publicado no HBR chamado The New New Product Development Game.

Agenda de desenvolvimento de produto da Fuji — Fonte:https://hbr.org/1986/01/the-new-new-product-development-game

The Honda City project team, whose members’ average age was 27, had these instructions from management: to develop “the kind of car that the youth segment would like to drive.” An engineer said, “It’s incredible how the company called in young engineers like ourselves to design a car with a totally new concept and gave us the freedom to do it our way."

Se você ler o artigo do Hirotaka o Ikujiro, você vai ver que o processo de trabalho que eles descreveram não perdeu quase nenhuma característica quando comparado com o Scrum que conhecemos hoje para desenvolvimento de software. Acontece, quando o Jeff e o Ken trouxeram o framework para o desenvolvimento de software, eles mudaram um bocado a estrutura para se adequar à nossa realidade.

Comparando as responsabilidades do Product Owner e do Product Manager

Em desenvolvimento de software, sofremos de alguns grandes problemas. Dois deles seriam:

  • Requisitos e materiais para iniciar o desenvolvimento;
  • Ordering the items in the Product Backlog to best achieve goals and missions;
  • Optimizing the value of the work the Development Team performs;
  • Ensuring that the Product Backlog is visible, transparent, and clear to all, and shows what the Scrum Team will work on next; and,
  • Ensuring the Development Team understands items in the Product Backlog to the level needed.
  • Pesquisa e análise de Benchmark;
  • Unir visão da empresa com a visão da área de produto;
  • Criar estratégia do produto e direciona-la para cumprir com as necessidades da empresa e do usuário;
  • Definir, acompanhar e comunicar métricas de sucesso do produto;
  • Compreender profundamente o negócio e o mercado de atuação;
  • Compreender profundamente o usuário, conhecendo suas necessidades, a fim de identificar oportunidades para o produto;
  • Definir e planejar novas features do produto de acordo com as necessidades do usuário e do negócio;

O que é ser um Product Manager?

Geralmente o PM deve ter vindo da área de Negócio, Design ou Tecnologia… Mas ele pode ter vindo de outra área totalmente diferente dessas, como Marketing, por exemplo. Essa responsabilidade é relativamente nova aqui no Brasil e em outras partes do mundo, por isso é certo afirmar (ainda) que ninguém nasce Product Manager (e também Product Onwer).

  • O PM precisa entender bastante de Agile, já que ele exerce também as responsabilidades descritas de um Product Owner.
  • O PM precisa entender sobre atendimento ou fluxo de atendimento dos usuários, dado que ele vai precisar selecionar o que está mais doendo nos usuários, conseguindo priorizar qual solução ele vai pensar primeiro de acordo com número de usuários impactados, ciclo de ocorrência, churn, perda de receita e etc…
  • O PM precisa saber um pouco sobre dados, já que ele vai lidar com os times de BI, Data Science e assim por diante. Existem uma série de métricas de produtos que o PM poderá fazer correlações para entender melhor o comportamento do usuário, afim de melhorar a retenção e engajamento do produto;

O mercado está criando níveis e isso é ruim

Agora é muito comum ver empresas criando níveis: onde PMs lideram POs, exatamente por causa dessa separação de responsabilidades.

Caso haja em uma empresa, além dos PMs, pessoas exercendo função de BA e/ou PO, é possível colocar os PMs como gestores dos BAs e/ou POs. Contudo, isso cria uma carga extra para o PM que, além de gerir o produto, terá que se preocupar com gestão de pessoas. — Joaquim Torres

Esse é um ponto muito importante, dado que gestão de pessoas é um assunto complexo e dá trabalho. Alguns desdenham da quantidade de trabalho que dá gerir pessoas, mesmo que sejam poucas, mas há responsabilidades de horário, carreira, produtividade, relacionamento, mentoria, coaching e etc, que não são fáceis de lidar, mesmo com um time diminuto de 2 ou 3 pessoas.

Concluindo

O nome Product Owner se tornou tão, mas tão pejorativo que é comum que pessoas não gostem dessa responsabilidade por ficar muito no tático. Mas entenda que essa é só uma das responsabilidades de um Product Manager. Se alguém julga ser um Product Manager e só exerce a versão “agile” da responsabilidade, você é um PO, então, provavelmente, seu time está órfão de um PM. Não apenas seu time, mas seus usuários e talvez seus stakeholders.

Referências dos links no artigo:

Gestão de Produtos

Canal de dedicado à artigos sobre gestão de produtos web. Gestores de diversas empresas brasileiras se juntaram para escrever sobre como eles gerem seus produtos e empresas.

Diego Eis

Written by

Diego Eis

Diretor de Produtos Digitais.

Gestão de Produtos

Canal de dedicado à artigos sobre gestão de produtos web. Gestores de diversas empresas brasileiras se juntaram para escrever sobre como eles gerem seus produtos e empresas.