Pautas do ME: Moradia

Com o dobro de moradores em relação à sua capacidade, a Moradia Estudantil da Unesp terá 143 pessoas até 2017

Sempre cabe mais um?

A moradia estudantil de Bauru existe para garantir a Permanência Estudantil. Infelizmente essa medida social não tem capacidade de atender todos os necessitados

A moradia estudantil da Unesp de Bauru foi conquistada com muita luta. A Unesp de Bauru existe desde 1988 mas apenas em 2012 a moradia foi entregue para começar a ser utilizada pelos alunos. O plano inicial era a construção de dois blocos, com 32 vagas cada, mas apenas um foi construído com a justificativa de que não havia demanda. Hoje a moradia está superlotada e possui mais de 60 moradores.

Documentário sobre a moradia produzido pelo DADICA

Lotação

O foco da greve estudantil de 2016 continua sendo a permanência estudantil. A moradia é uma das coisas mais importantes, se não a mais importante, para que haja essa permanência, e tem como objetivo atender os alunos que possuem uma carência socioeconômica.

Os alunos da moradia estudantil fizeram alguns cálculos e de acordo com eles em 2017 terão cerca de 143 pessoas na moradia, com uma margem de erro de 15 pessoas para mais ou para menos. Isso porque o aumento das cotas fará com que o número de alunos que precisam da moradia aumente.

Ou seja, a construção de novos blocos é de extrema importância para atender a todos que precisam. Porém, de acordo com os moradores, mesmo se eles formularem uma requisição formal e enviarem para a reitoria, teriam outro bloco daqui 5 anos.

Localização

Outros problemas além da superlotação podem ser ressaltados. A localização da moradia é perto de uma rodovia, o que prejudica a segurança dos moradores.

Para chegar na universidade, eles devem atravessar uma rotatória, sem segurança e sem iluminação. Apesar de alguns postes estarem em processo de instalação, a quantidade ainda é pequena. Muitos alunos já foram assaltados nesse percurso e outros casos de violências já foram relatados, como, por exemplo, uma tentativa de sequestro.

A localização afastada do centro da cidade não permite que os moradores supram suas necessidades básicas, como, por exemplo, ir ao mercado, a farmácia, entre outros. A quantidade de transporte público não é suficiente, ainda mais durante o final de semana.

Direito, privilégio ou esmola? Foto: Arte no corredor das salas 70’s da Unesp Bauru APAGADA recentemente

Propostas

As propostas dos movimento estudantil que abordam a moradia, são essas:

  • Iluminação no trajeto Unesp — Moradia — IPMET
  • Projetos para/com a moradia voltados à saúde e lazer, podendo conter atividades que aproximem o campus da Moradia.
  • Bolsa coletiva (para manutenção e limpeza da casa — produto ou valor a ser distribuído entre os moradores) e cesta básica para os moradores da moradia (incluindo os excedentes);
  • Psicólogos e psicólogas que atendam todos os estudantes da UNESP para tratar do quadro dos surtos psicóticos e do mal estar generalizado e promover a manutenção do bem estar dos alunos e alunas
  • Contratação de mais psicólogos para o Centro de Psicologia CPA
  • CPA atender de acordo com critérios socioeconômicos
  • Melhoria nos serviços da Moradia
  • Ação direta: Ato contra a retirada de estudantes excedentes da moradia
  • Construção de um novo bloco de moradia como prioritária no Plano Diretor
  • Parceria dos estudantes para um projeto de bloco ou prédio.
  • Transparência em relação às licitações, orçamentos e empresas envolvidas na construção a fim de evitar o superfaturamento
  • Orçamentos feitos pela CPPE de forma a evitar corrupção

Veja a seguir algumas fotos da Moradia Estudantil da Unesp de Bauru:

Situação insustentável da Moradia Estudantil na Unesp/Bauru
Like what you read? Give CEUB Bauru a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.