Imagem do Autor

Candidato, a minha bicicleta é a mesma que a sua ?

Um dialogo imaginário com qualquer candidato que diz apoiar o ciclismo em Porto Alegre

Época de candidaturas ao paço municipal (sede da prefeitura Porto Alegrense) e a câmara de vereadores e as ruas estão cheias de candidatos sedentos por seu voto. Me acompanhe neste exercício de imaginação em um dialogo que eu gostaria de travar no que se refere ao uso da bicicleta como solução de mobilidade urbana.


Pelas ruas de Porto Alegre, empurrando a magrela em busca de um lugar para prende-la em segurança. Um candidato — doravante chamado de O Candidato — me para.

— Oi bom dia, já sabe em quem votar para vereador?

Na verdade até sei, mas para dar prosseguimento ao assunto minha resposta é Não.

— Então acabou de achar uma opção. Dê uma olhada no nosso material

Um folder e um adesivo me são entregues. Papel de boa qualidade. Impressão colorida primorosa. Deve ter custado caro. Dou uma olhada rápida nas propostas. Mais do mesmo. Nenhuma linha sobre uso da bicicleta.

— Candidato, até topo votar em você, mas antes vamos conversar?

Paira um silêncio no ar. Eu sou um daqueles caras chatos que fazem perguntas que ele não está muito disposto a responder.

— Claro, vamos conversar.

— Candidato eu dei uma conferida rápida no seu material de campanha e não há uma linha sequer falando do deslocamento através de bicicletas. Como deve ter visto eu ando de bicicleta — afinal estou abraçado em uma neste momento — qual sua posição e suas propostas para desenvolver o uso deste modal e torna-lo mais seguro para quem o utiliza?

— Eu apoio o deslocamento de bicicleta é claro. Na verdade eu também sou ciclista.

— És ciclista Candidato? Que coisa boa, uma surpresa realmente muito legal. Então assim como nós, que optamos por utilizar este modal diariamente para trabalhar, estudar e desta forma contribuir com um trânsito mais fluído e uma cidade mais saudável também passa por uma série de perrengues — dificuldades, impecilhos, barreiras, obstáculos — diariamente, como a falta de ciclovias, a falta de respeito por parte dos motoristas, a falta de lugares para prender a bicicleta em segurança e etc….

— Ann, na verdade eu tenho uma bicicleta, pedalo com meus filhos no final de semana pelas ruas do condomínio fechado onde moramos nunca pedalei na rua assim.

— Porque nunca pedalaste na rua candidato?

— Bem, eu acho perigoso e prefiro usar o carro diariamente por questão de conforto.

— E tens alguma proposta para tornar o deslocamento de bicicleta menos perigoso? Alguma ideia?

— Na verdade se eleito for acredito que possamos trabalhar para isto.

Eu ADORO estas respostas evasivas.

Candidato, sabe que Porto Alegre conta com um Plano Diretor Cicloviário Integrado ? E que sua execução está praticamente parada ?

— Sim sei. E irei fiscalizar e cobrar sua implementação.

— Então também deve saber que o dispositivo que garantia 20% das multas para ciclovias e educação no trânsito foi removido — na verdade mutilado — do Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI), e esta mutilação foi diretamente responsável pela parada na implantação de ciclovias que agora dependem de contrapartidas de empreendimentos privados . Qual sua posição a respeito Candidato?

— Acredito que se incentivarmos mais empreendimentos privados chegaremos a quilometragem de ciclovias previstas no PDCI, se a regra é esta. Irei fiscalizar para que as contrapartidas sejam aplicadas.

Ok. Vamos forçar a barra um pouco mais na questão das ciclovias.

Candidato, uma parte significativa das ciclovias em Porto Alegre é construída sobre calçadas, retirando espaço do pedestre e criando um conflito entre eles e os ciclistas que só ocorre aqui em Porto Alegre. Na verdade em alguns trechos sequer há espaço para ciclistas e pedestres ou até mesmo a existência de calçada. O que acha disto ?

— Eu acredito que as ciclovias são importantes, mas não podem retirar vagas de estacionamento dos automóveis ou atrapalhar o fluxo de automóveis que é prioritário.

Prioritário meu ….

Candidato, falando nos pedestres: Porto Alegre conta com uma série de estruturas que restringem o deslocamento deles. Bretes para pedestres, semáforos que demoram mais de 8 minutos para abrirem , e quando abrem oferecem poucos segundos para a travessia, obrigando idosos e pessoas com dificuldade de deslocamento a correrem, causando risco de quedas e acidentes. Houve um teste na cidade para redução destes tempos, que foi amplamente sabotado pela EPTC e pela mídia carrocentrista. Sua opinião sobre o assunto?

— Pretendo trabalhar junto a EPTC para revisar os tempos das sinaleiras de pedestres.

Sei. O galinha vai trabalhar com a raposa pelo almoço. Sei.

— Uma última pergunta candidato e não tomarei mais seu tempo. És candidato a reeleição ao cargo de vereador?

— Não, sou uma cara nova, e pretendo trazer renovação a câmara de vereadores.

— Que coisa ótima candidato. Até porque não votaria em nenhum candidato a reeleição nesta eleição visto que eles tiveram 4 anos para fazer algo pela causa dos ciclistas e a situação está claramente igual ou pior. E como lhe disse antes, acredito que o papel dos candidatos é fiscalizar e cobrar a execução dos projetos da cidade, inclusive o PDCI. E claro, os que votaram por mutilar o PDCI jamais terão meu voto novamente.

— É necessário renovação.

— Concordo Candidato. Concordo tanto que irei lhe devolver seu material e agradecer pelo seu tempo.

— Como assim ? Depois de todas estas perguntas…?

— Fiz as perguntas que faço para todo candidato. Mas meu voto será para um candidato que esteja comprometido integralmente com a implantação do PDCI, com propostas concretas para resolução dos conflitos e para a segurança para todos que fazem parte do trânsito.

Você possui uma bicicleta candidato. Mas você não pedala a bicicleta que todos nós ciclistas de Porto Alegre pedalamos.

Obrigado pelo seu tempo.


Depois deste exercício, repito as perguntas que faria para qualquer candidato:

  • Candidato,qual sua posição e suas propostas para desenvolver o uso deste modal e torna-lo mais seguro para quem o utiliza?
  • Candidato, tens alguma proposta para tornar o deslocamento de bicicleta menos perigoso? Alguma ideia?
  • Candidato, sabe que Porto Alegre conta com um Plano Diretor Cicloviário Integrado ? E que sua execução está praticamente parada ?
  • Candidato, o dispositivo que garantia 20% das multas para ciclovias e educação no trânsito foi removido — na verdade mutilado — do Plano Diretor Cicloviário Integrado (PDCI), e esta mutilação foi diretamente responsável pela parada na implantação de ciclovias que agora dependem de contrapartidas de empreendimentos privados . Qual sua posição a respeito Candidato?
  • Candidato, uma parte significativa das ciclovias em Porto Alegre é construída sobre calçadas, retirando espaço do pedestre e criando um conflito entre eles e os ciclistas que só ocorre aqui em Porto Alegre. Na verdade em alguns trechos sequer há espaço para ciclistas e pedestres ou até mesmo a existência de calçada. O que acha disto ?
  • Candidato, falando nos pedestres: Porto Alegre conta com uma série de estruturas que restringem o deslocamento deles. Bretes para pedestres, semáforos que demoram mais de 8 minutos para abrirem , e quando abrem oferecem poucos segundos para a travessia, obrigando idosos e pessoas com dificuldade de deslocamento a correrem, causando risco de quedas e acidentes. Houve um teste na cidade para redução destes tempos, que foi amplamente sabotado pela EPTC e pela mídia carrocentrista. Sua opinião sobre o assunto?
  • És candidato a reeleição ao cargo de vereador?

E você ciclista? Quais as perguntas que faria ? Seu candidato pedala a mesma bicicleta que você?

Beijos do Magro. Muá !


Recomende este texto no ♥ ali embaixo e compartilhe-o nas redes sociais.

Sobre o autor

Gilson Wingist tem mais livros que lugar para guarda-los, mas não se importa muito com isto. Sua esposa não permite que ele adquira mais bicicletas.

Like what you read? Give Gilson Wingist a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.