Atividade pré-mortem: fonte-possível- de visão/ação preventiva

Se você é Scrum Master, Agile Coach ou outro facilitador em ambiente de desenvolvimento legado, com cenário engessado e repleto de dependências, é possível que essa futuretrospective ajude o seu time a tratar e prevenir impedimentos.

Com a aproximação do final do ano, comum época de freezing — onde o desenvolvimento de novas features perdem sua prioridade e também época a qual temos maior tendência a refletir sobre altos e baixos dentro do nosso ambiente de desenvolvimento, me vi diante do questionamento:

Que tipo de retrospectiva poderia propor ao time afim de obter uma visão que expusesse problemas recorrentes e que fosse possível tratar ou identificar meios de mitigar o impacto dos mesmos.

Assim, iniciei a busca por uma abordagem que atendesse ao proposto.

Mas antes de maiores detalhes, irei ilustrar o cenário atual.

Cenário de Célula de TI (atual)

Imagine um cenário onde diversas equipes de desenvolvimento que pouco se comunicam entre si, consomem as mesmas base de dados, os mesmos serviços, compartilham os mesmos ambiente de desenvolvimento e também de produção, onde a gerência de tudo fica aos cuidados de uma primeira equipe que cuida da arquitetura, uma segunda que por sua vez é responsável pelo monitoramento e uma terceira que integra todos os demais.

Ou seja, estamos dentro de um eco-sistema próprio e complexo, onde as dependências são recorrentes , as prévias aprovações de ações são necessárias, além do nível de autonomia ser reduzido.

E nesse contexto é comum que a equipe do projeto XPTO tenhas suas necessidades desconsideradas em detrimento as necessidades de outras equipes.

A pesquisa e a ESCOLHA

Diante do descrito, busquei alternativas já aplicadas e acabei por encontrar no livro do Paulo Caroli, Fun Retrospectives, uma série de Futuretrospectives, dentre elas a escolhida:

Pre Mortem activity, ou na tradução literal, ATIVIDADE PRÉ MORTEM, que se apresenta com uma proposta de preparação para um próximo (novo) lançamento ou desafio. Que orienta que seja solicitado aos participantes falarem sobre tudo que poderia dar errado e sugere que na sequencia seja conversado sobre um plano de ação.

Perguntas são propostas afim de facilitar a condução do raciocínio e elas são:

  • O que vai dar errado?
  • Como isso vai acabar em desastre?

Dessa forma, cada um dos presentes devem anotar individualmente os riscos e as preocupações. As mesmas são compartilhadas e adicionadas no quadro preparado para o mesmo e deve ser solicitado então que anotem formas de mitigar os riscos e as preocupações.

Finaliza-se com uma discussão sobre o que foi exposto e elabora-se um plano de ação.

A aplicação (pseudo-adaptação)

Criado um ambiente seguro e respeitoso para a explanação, assim reunimos a equipe XPTO e solicitamos que cada presente refletisse sobre o que aconteceu no ano corrente que estava se encerrando e listassem os riscos que foram identificados e não tratados.

Dessa forma listamos uma primeira coluna, O QUE PODE DÁ ERRADO.

Imagem da coluna O QUE PODE DAR ERRADO

Seguimos refletindo e solicitamos que complementassem o raciocínio identificado quais impactos teríamos com a concretização dos itens listados, assim, obtemos uma segunda coluna, QUAL O RESULTADO DO ERRO.

Imagem da coluna QUAL RESULTADO DO ERRO

Conversamos sobre os pontos elencados, seus possíveis impactos e afim de instigar ainda mais a equipe, solicitamos que eles pontuassem ações para mitigar os riscos, concebemos a terceira coluna, COMO MITIGAR.

Imagem da coluna COMO MITIGAR

Finalizamos tendo uma prévia quanto ao possível plano de ação, que será trabalhado e amadurecido num segundo momento.

Imagem do resultado final da Pre-Mortem Activity

Considerações finais

  • A atividade como foi proposta evidenciou ainda mais os pontos críticos que já eram de conhecimento da equipe, porém foi possível identificar meios de mitigar os problemas por meio de ações internas, rompendo assim ao menos de forma paliativa a dependência externa existente;
  • Uma vez que conseguimos identificar ações internas, temos em mãos insumos para um segundo momento, onde teremos a oportunidade de amadurecer a ações sugeridas em nosso plano de ação;
  • Foi ainda possível verificar o quanto a equipe tem visão e noção em relação ao meio que está inserida e como ela mesmo identifica meios de mitigar propensos problemas.

Links Relacionados

  1. http://www.caroli.org/home/
  2. http://www.funretrospectives.com
  3. http://www.funretrospectives.com/pre-mortem-activity/
  4. https://www.gumga.com.br/blog/pre-morten-saiba-o-que-e/
  5. https://www.thebrief.com.br/carreira/118882-pre-mortem-segredo-sair-situacoes-estresse.htm
  6. https://www.infoq.com/br/presentations/retrospectivas-sob-medida