Aprendendo usabilidade com as 10 Heurísticas de Nielsen

Nesse post falaremos sobre as heurísticas de Nielsen, quais são e como elas podem facilitar o uso em interfaces digitais.
Jakob Nielsen é cientista da computação com Ph. D. em interação homem-máquina. É o mais conhecido analista de usabilidade do mundo.

Heurística é o uso de atalhos, regras ou premissas para facilitar que o usuário compreenda melhor algo novo, ou seja, algo que ainda não foi aprendido. Ao aplicar esse método, o designer pode pensar em qual seria a melhor experiência para o usuário, o que deixaria as interações do projeto de fácil entendimento e memorização, além de tornar o uso do sistema intuitivo e claro.

Existem heurísticas de vários autores e estudiosos da área, porém, falarei apenas daquelas mencionadas por Nielsen, sendo elas: feedback, utilização de linguagem do usuário, saídas claramente demarcadas, consistência, prevenção de erros, minimização de sobrecarga de memória do usuário, atalhos, diálogos simples e naturais, criação de boas mensagens de erro e ajuda e documentação. Todas serão detalhadas abaixo.

Feedback

Sempre manter o usuário informado do que ele está fazendo, informando suas ações para facilitar o entendimento.

Falar a linguagem do usuário

Os termos utilizados devem ser pensados para o fácil entendimento do usuário. Evitar usar termos técnicos que as pessoas comuns não entendam.

Saídas claramente demarcadas

O usuário é quem controla a navegação, ele deve poder abortar uma tarefa ou desfazer uma operação retornando ao estado anterior, às vezes os usuários escolhem algumas funções por engano e precisam conseguir abortar facilmente, podendo desfazer ou refazer a interação.

Consistência

Para um projeto interativo ser consistente, ele deve procurar manter os padrões das plataformas e de suas telas, evitando novos componentes para ações similares, facilitando a assimilação e aprendizado do sistema.

Prevenir erros

Procurar entender o modelo de navegação dos usuários e evitar que aconteçam falhas de navegação. Modificar a interface para evitar que esses erros aconteçam.

Minimização de sobrecarga de memória do usuário

Deixar sempre objetos, ações e opções visíveis para evitar que o usuário tenha que memorizar os passos anteriores.

Atalhos

Sempre que possível acelerar as interações com atalhos rápidos, que podem ajudar usuários avançados a executar ações mais rapidamente.

Diálogos simples e naturais

Procurar não inserir informações irrelevantes ou desnecessárias nos diálogos com os usuários, informar apenas o que o usuário precisa naquele momento de uma forma objetiva. Ter clareza com a informação e tentar não confundir esta com outros elementos na interface.

Boas mensagens de erro

Mensagem de erro devem ser facilmente entendidas, e devem ajudar o usuário a entender o problema e sugerir uma solução, não podem intimidar o usuário.

Ajuda e documentação

O ideal é que não aja a necessidade de ter uma documentação em consequência de seu projeto ter sido pensado para ser o mais intuitivo possível, caso aja a necessidade faça com que este documento fique facilmente acessível.

Essas heurísticas nos ajudam a pensar como os usuários utilizam as interfaces, prevenindo possíveis erros. Claro que você pode modificá-las ou até mesmo utilizar outras metodologias, porém, tendo o conhecimento e executando-as, o ganho em termo de usabilidade e produtividade irão aumentar substancialmente no uso do sistema por parte de seus usuários, aumentando a satisfação e o engajamento deles.

Quer saber um pouco mais sobre como criamos produtos digitais incríveis e mudamos a vida das pessoas? Acesse o nosso site!

Originally published at helabs.com on April 10, 2015.

Like what you read? Give Andrey Campos a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.