Pachecando na NBA :: Nenê

De Hilário a Nenê, pivô brasileiro inicia mais uma temporada como referência no garrafão dos Wizards

por Vagner Vargas

A barba que começa a esbranquiçar denuncia o status de veterano do brasileiro Nenê na NBA. Foi-se o tempo em que ele chegou à liga com seus 20 anos e o sobrenome estampado no uniforme no lugar do apelido pelo qual já era conhecido no Brasil.

O então novinho Hilário com David Stern no dia do Draft

A carreira como Hilário começou lá atrás, na temporada 2002–2003. Hoje, 13 anos depois, é “Nenê” o que se lê acima do número 42 da camisa do Washington Wizards. Titular de sua equipe, forma dupla com o polonês Marcin Gortat e assim deve ser novamente em 2015–2016.

Veterano, Nenê é a referência do garrafão na equipe da capital norte-americana. Muito forte fisicamente, o brasileiro também se impõe com sua técnica no jogo de costas para a cesta, seus tiros de média distância e capacidade defensiva.

Aos 32 anos, pouco deve mudar para o brasileiro em relação às últimas temporadas. A principal mudança na equipe foi a chegada do ala-armador Gary Neal e a saída de outro veterano: Paul Pierce.

Os Wizards apostam alto na dupla John Wall e Bradley Beal para o futuro e contam com a presença do pivô brasileiro para dar consistência no garrafão. Na capenga Conferência Leste, o time de Washington venceu 46 partidas na última temporada e foi aos playoffs com tranquilidade, coisa que deve se repetir em 2015–2016.

Em quadra, Nenê gosta de se impor fisicamente

Nenê tem uma carreira sólida nos Estados Unidos, com algumas lesões pelo caminho, mas conseguiu se manter bem fisicamente nos últimos três anos. As médias do brasileiro sofreram uma queda em relação a 2013–2014, mas nada que preocupe e derrube a importância dele no elenco. Talvez seja o início de um processo de transição para um novo papel que ele possa vir a exercer, mas que ainda é cedo para ser concluído.

Médias de Nenê na temporada 2014–2015
11 pontos || 5,1 rebotes || 1,8 assistências || 1 roubada de bola ||
25,3 minutos || 51,1% nos arremessos || 60,4% nos lances livres

Com uma carreira sólida, Nenê tem o talento e as ferramentas para se manter em atividade por mais algumas boas temporadas antes de encerrar um ciclo bastante positivo no basquete norte-americano.


Para ajudar o Pachecando a chegar a mais gente, é só clicar no ❤. Não custa nada, né? Ajuda aí…


Show your support

Clapping shows how much you appreciated Vagner Vargas’s story.