Capa do livro “Os Quatro Compromissos, o livro da filosofia Tolteca”

Seja Impecável com a Sua Palavra

Introdução

Tomando por base o livro “Os Quatro Compromissos”, de Don Miguel Ruiz, (Editora Best Seller), inicio hoje uma série de artigos escritos a partir de cada compromisso exposto no livro, à saber:

  1. SEJA IMPECÁVEL COM A SUA PALAVRA
    Diga apenas aquilo em que acredita. Use o poder de sua palavra na direção da verdade e do amor.
  2. NÃO LEVE NADA PARA O LADO PESSOAL
    Quando você está imune às opiniões e ações dos outros, não é vítima de sofrimento desnecessário.
  3. NÃO TIRE CONCLUSÕES
    Comunique-se com os outros com clareza, sem dramas ou mal-entendidos. Só com este compromisso você já pode transformar completamente sua vida.
  4. SEMPRE DÊ O MELHOR DE SI
    Em quaisquer circunstâncias, faça sempre o melhor que puder, e você evitará auto-sofrimento e arrependimento.

Impecável

Ser impecável com a sua palavra remete ao significado da palavra “pecado”. E pecado, por sua vez, (desconsiderando a relação e/ou conotação religiosa), significa erro, falha, mancha. Logo, a impecabilidade significa ser fiel, ser correto, irrepreensível e imaculado (neste contexto) com a sua palavra!

Quando você é impecável com a sua palavra, quando você honra o que diz, querendo ou não implica em considerar, em prestar total atenção e ser fiel à cada palavra que você profere. E isso acontece porque você assume uma responsabilidade imensa, gigantesca com o que diz. E tudo aquilo que diz foi pensado previamente e se refere exatamente a você mesmo, ao seu mundo particular ou ainda, à forma como você enxerga e acredita.

A Palavra

Minha amiga no Facebook, Tamires Damasio, publicou r̶e̶c̶e̶n̶t̶e̶m̶e̶n̶t̶e̶ um texto excelente sobre “o poder das palavras”, que eu adiciono logo abaixo:

PrintScreen da publicação de Tamires Damasio por Samej Spenser

Paralelamente à palavra impecabilidade, devemos dar total atenção ao significado da própria palavra.
Palavras são os meios perfeitos e ideais para se apresentar uma ideia, um pensamento, uma sensação. É através de palavras que realizamos tudo e qualquer coisa em nossa vida, independente do que seja.
Um pintor pode se expressar através de seus quadros, mas antes mesmo de pintá-los, ele traduziu a imagem mental em palavras, considerando as possibilidades, desvantagens e vantagens de pintá-la.
O mesmo se dá com um compositor; ele escolhe um sentimento, uma emoção em sua mente, — e para isso ele utiliza palavras em seu diálogo interno — , e transcreve-os em canções, melodias, acordes…
De uma forma ou de outra, patente ou latente, a palavra está inserida em cada ação, pensamento, iniciativa ou situação da vida do ser humano. Através das palavras, o ser humano formula acordos com as pessoas e principalmente consigo mesmo.

Imagine da seguinte maneira: vamos fazer de conta que somos todos feiticeiros, você e eu, nossos pais e todos aqueles que conhecemos. E a palavra é o único meio de se lançar um feitiço. Como feiticeiros, estamos o tempo todo lançando feitiços e contra-feitiços. Através das palavras, da forma como utilizamos as palavras, podemos entender e alcançar resultados diversos.
Ao pensarmos e proferirmos palavras boas, doces, amorosas, lançamos bons feitiços, praticamos a “magia branca”. Porém há aqueles que pensam somente palavras ruins, palavras duras, egoístas, palavras que propiciam apenas e somente resultados negativos. Esses são os bruxos, os praticantes da “magia negra”!

Se pararmos para perceber, nós utilizamos os dois tipos de magias, todos os dias e, principalmente, direcionado a nós mesmos! Utilizamos também para as outras pessoas, mas a utilização principal é voltada ao próprio sujeito, a si mesmo.

Palavras são como sementes

Levando-se em consideração o que alguns conhecem como Lei da Semeadura, ou como alguns conhecem por Lei do Retorno, e ainda como Karma, tudo aquilo que lançamos, recebemos de volta, (como um bumerangue). Para melhor exemplificar, vou adotar aqui a terminologia “Lei da Semeadura”!

Imagine você que cada palavra lançada, proferida, (e mesmo a pensada, que mantém o foco principalmente no sujeito pensante), é uma semente.
Eu te pergunto: é possível plantar melancia e colher abacaxi? Não, né?!

Imagine também que nossa mente seja um campo fértil e adubado, aguardando apenas a semeadura…
Logo, cada palavra, (pensada, falada, proferida) é uma semente em potencial, que é depositada numa terra fértil, preparada para e aguardando apenas que a semente seja ali plantada.

Palavras, (assim como sementes) produzem frutos na época certa, respeitando-se determinadas condições. Nesse meio tempo, nós pensamos de nós mesmos: “sou gordo”, “sou imbecil”, “sou incapaz”, “sou infeliz”…
Acontece que essa palavra, seja pensada ou proferida, foi depositada numa terra de excelente qualidade (a sua mente), e no tempo correto, germina, cresce, floresce e frutifica. Em pouco tempo, você engorda, age com imbecilidade, acredita-se e/ou torna-se incapaz ou infeliz.

Se alguém, em algum momento lhe diz que você engordou, por exemplo, isso só corrobora sua semente anterior (já plantada) e serve como chuva numa plantação, proporcionando condições ainda melhores para o crescimento da semente ali depositada.

Mas como feiticeiros, podemos (e devemos) estar aptos a utilizar o contra-feitiço. E para isso, devemos em primeiro lugar rejeitar palavras negativas a nosso respeito. Algumas pessoas podem dizer que isso seja mais fácil falar do que fazer, mas para isso, devemos lembrar de um outro princípio (que será melhor abordado em outro texto): NADA É PESSOAL!

Quando alguém diz algo sobre você, sobre alguém, está apenas dizendo sobre si mesma do que sobre o outro.

Imagine que você está dirigindo por uma rua e alguém lhe fecha. Essa pessoa não lhe fechou propositalmente, ela não estava ali aguardando você passar para lhe fechar.

Quando se entende que nada é pessoal, alguém pode lhe dirigir um insulto diretamente e ele estará falando mais sobre ele mesmo do que sobre você! Afinal, quem melhor que você conhece a si mesmo?!
Parafraseando Sigmund Freud: “Quando Pedro me fala sobre Paulo, conheço mais de Pedro que de Paulo!”.

Ninguém pode lhe magoar, ninguém pode lhe irritar, ninguém, ABSOLUTAMENTE NINGUÉM pode lhe tirar a paciência! Só se você permitir, e/ou apenas se você lhe conferir tal “poder”!

Mantenha-se impecável com a sua palavra, mantenha-se na direção da sua vida, escolha e dê ouvidos apenas às boas palavras que lhe são dirigidas e, acima de tudo, escolha apenas coisas boas e positivas para pensar e falar de si e sobre si mesmo, pois sendo impecável no que pensa e fala, você estará plantando e, no tempo adequado, colhendo os resultados positivos que espera e anseia!

E na hipnose, onde se aplica isso?

E quando se trata de hipnose, independe se você é estudante (hipnólogo) dessa maravilhosa arte, se você é um profissional da área da saúde que utiliza a hipnose como ferramenta (hipnoterapeuta), ou ainda se você só pratica por diversão, curiosidade, entretenimento (hipnotista), você tem o DEVER de ser impecável com a sua palavra, tem o DEVER de ser íntegro e positivista em sua comunicação, pois está lidando com terrenos preparados, campos férteis que aguardam apenas e tão somente uma semente.
E nossas sugestões hipnóticas, — sejam elas hétero hipnóticas (quando uma pessoa hipnotiza outra) ou auto-hipnóticas, (quando o sujeito hipnotiza a si próprio) — , carregam uma potência gigantesca, proporcionando maior rapidez na execução e/ou percepção do que foi sugerido, proporcionando uma mudança muito mais efetiva.

Tenha o hábito de refletir previamente sobre os possíveis resultados que sua comunicação, que suas palavras ou sugestões podem alcançar, produzir, e utilize-as (suas palavras) impecavelmente!


Lembre-se também de comentar, recomendar este texto para outros leitores, (para isso, basta clicar/tocar no 💚 logo abaixo), e compartilhar com seus amigos nas redes sociais! 😉

Receba novidades e notícias sobre a hipnose em primeira mão diretamente no seu celular. Entre para o canal HP News no Telegram:

HP News | Telegram

Originalmente publicado em www.SamejSpenser.com.br.