A história do Pedro Miguel

Quando o Pedro Miguel chegou ao nosso Centro tinha apenas quatro meses de vida.

Aqui, ele aprendeu a engatinhar, deu os primeiros passos e falou as primeiras palavras.

No início, o Pedrinho tinha muito medo de caminhar. E hoje ele já sai correndo por nossos corredores, inclusive para a sala da arteterapia.

“Pedro quer pintar”, diz ele. E depois solta um sorriso de quem está descobrindo na arte uma diversão e a liberdade de criar.

O Pedro Miguel está há pouco mais de um mês fazendo reabilitação na arteterapia e, como possui malformação dos braços, pinta com os pés.

E ele ainda tem um charme: pinga o pincel na tinta, levanta as pernas para o alto, abre um sorriso e começa a pintar!

Imaginou a cena?