Você sabe como o trabalho que você faz impacta a empresa em que você está?

Ouvida sem pensar, esta pergunta parece menos importante do que realmente é. Eu até poderia dar-lhe uma carga mais dramática, mas ela ficaria com ares de frase de auto-conhecimento de botequim: você sabe pelo quê trabalha?

Não tô falando agora de propósito e sua missão neste planeta, mas sim sobre qual a razão da sua existência dentro estratégia de evolução da empresa. Você sabe?

Saber não apenas “o que você faz” e “como você faz”, mas também “o porquê você faz”.

Desde que fundamos o Honeycomb, percebemos como isso é poderoso.

Porque gera um senso de responsabilidade gigante. Porque quando você vai além de saber “o que” e “como” você faz, isso permite que você consiga se enxergar como agente de transformação e não apenas executor.

Aí você olha pro lado e cada um tá ali, sustentando e construindo a parte do negócio que lhe cabe. E, pra mim, há poucas coisas mais motivadoras do que trabalhar em um time cheio de gente pilhada para chegar no lugar determinado.

Aliás, isso é outro ponto que talvez você passaria batido, mas vale a pena ressaltar: lugar determinado.

Acredite, eu já passei por uma empresa em que ninguém sabia qual seria o próximo passo em termos estratégicos. Iríamos para a esquerda ou para direita? A pergunta ecoava sem resposta. E isso gera uma ansiedade maluca.

Então ter um objetivo determinado é o primeiro passo para que todos os demais sejam para a mesma direção.

Quando a equipe consegue entender onde a empresa quer chegar a curto e longo prazo e como fará para atingir seus objetivos, é como se os passos de cada um fossem sincronizados. Tudo isso para que o caminho a ser trilhado seja o mais tranquilo possível.

Essa sincronia no time também gera espaço para haja uma troca de ideias mais sincera entre pessoas que não necessariamente estejam no mesmo nível hierárquico.

E aí, como diz o provérbio, “da discussão nasce a luz”.

E mais pessoas conseguem contribuir para o desenvolvimento da empresa. E a empresa começa poder contribuir para o desenvolvimento das pessoas, que acabam adquirindo senso de pertencimento, pensamento estratégico, autonomia para trabalhar e, no final das contas, conexão de propósitos.

E aí, você sabe pelo quê trabalha?