Jornal do Estado de Minas | Casais que adiaram casamento contam reviravolta nos planos

Joseani Aparecida Alito
Jun 9 · 4 min read

Médicos que celebrariam união em julho foram obrigados a mudar a data para o fim do ano. Os dois trabalham juntos no combate ao coronavírus na Bahia

Image for post
Image for post

“Bom, não tivemos outra opção, senão remarcar a data do casamento. Cancelar nunca passou pela minha cabeça; afinal, o casamento religioso e a cerimônia são um sonho”, contou a médica Juliana Hosken, que teve que remarcar o casório em razão da pandemia do coronavírus. Ela e o noivo, Luiz Henrique, são médicos na Bahia, e estavam com os planos de se casar em 11 de julho, em João Monlevade, no interior de Minas Gerais, cidade natal da noiva.

Juliana conta que o casal entraria em recesso em abril para finalizar os planejamentos da cerimônia na cidade mineira. “Nossas férias foram suspensas no mês de março e também fomos proibidos de tirar férias até meados de julho”, explica a noiva.

“Eu não gosto de correr riscos. Então, logo no início da pandemia, já considerei a possibilidade de adiar o casamento”, comentou. Entretanto, a noiva conta que estava com medo de a remarcação não ser possível, já que envolve o contrato com 15 fornecedores.

“Sou mais da vida real e do afeto presencial. Sonho com a igreja da minha cidade, entrando com meu pai e todos os convidados presentes”

Juliana Hosken, médica, sobre a decisão de não fazer o casamento com Luiz Henrique on-line

Apesar da situação, ela comenta que todos os fornecedores foram “muito compreensíveis e solícitos”. “Eles me passaram as datas disponíveis próximo ao final do ano, e, graças a Deus, encontrei uma data em que todos estavam disponíveis”, explica. A cerimônia foi remarcada para o dia 28 de novembro, data escolhida pelo casal.

Juliana contou ainda que nenhum fornecedor cobrou multa. “Parece que estão entendendo o cenário e precisam ponderar algumas cláusulas contratuais”, completa. A noiva explica que criou uma relação de confiança com todos os fornecedores e, por isso, não esperava uma reação diferentes deles. “São todos especiais! Sonham comigo.”

Com a remarcação da cerimônia, Juliana conta que não tem a intenção de casar on-line. “Sou mais da vida real e do afeto presencial. Sonho com a igreja da minha cidade, entrando com meu pai e todos os convidados presentes”, comenta. Mas, em relação ao casamento civil, a noiva considera oficializar o matrimônio nos papéis, caso os cartórios da Bahia estejam funcionando, em julho, para emitir a certidão.

“Um choque”

Daniela Godoy também está em uma situação parecida com a de Juliana. Ela e o noivo, Bruno Superbi, iriam se casar no civil e receber a ‘bênção dos pais’ em 13 de junho, também em João Monlevade. Porém, com a pandemia, os planos mudaram. “A princípio foi um choque, foi algo totalmente inesperado, até porque já estava tudo organizado para o casamento se realizar no mês de junho”, comenta a noiva.

Ao contrário de Juliana, Daniela diz que tem interesse em fazer o matrimônio no virtual. “Como, por agora, irei casar apenas no civil, acredito que seria possível fazer on-line com a presença dos noivos e das testemunhas”.

“A princípio foi um choque, foi algo totalmente inesperado, até porque já estava tudo organizado para o casamento se realizar no mês de junho”

Daniela Godoy, que pretende remarcar a celebração religiosa só no ano que vem

Ela explica que pretende remarcar a cerimônia religiosa para o ano que vem, mas o maior problema para isso está sendo conciliar as datas com os fornecedores. Com o impasse, a noiva cogitou cancelar o evento, mas também enfrenta dificuldades para isso. “Alguns fornecedores já até avisaram que não teriam como ressarcir o valor já pago, fazendo de tudo para que apenas adiássemos e não cancelar tudo”, comenta.

Onda de adiamentos

Juliana e Daniela não estão sozinhas diante do dilema que enfrentam. Segundo pesquisa do site de casamentos iCasei, mais de 60% dos casais que marcaram o casório para o primeiro semestre de 2020 deram uma pausa na organização do matrimônio por não se sentirem confortáveis. Desde março, mais de 3.500 noivos brasileiros adiaram o casamento no site iCasei.

A pesquisa também aponta que 41% dos noivos não têm certeza sobre o momento e o cenário dos próximos meses. Por isso, muitos estão aguardando mais um pouco para remarcar a data. “O maior problema, no meu ver, são alguns fornecedores que nos dão a opção de remarcação para apenas uma vez, como tá tudo incerto fica muito difícil a gente já ter uma data futura”, explica Daniela.

Além dos noivos, 64% dos fornecedores de serviços também têm dificuldade em “sincronizar a agenda com os outros fornecedores” e citam a “agenda livre” como um desafio. Apesar disso, a cerimonialista Talita Trindade afirma que os prestadores de serviço estão empenhados em ajudar na remarcação. “Sempre buscando uma melhor alternativa para o cliente”, explica.

“Eu tinha três casamentos marcados para maio. Os noivos desmarcaram, negociaram com os fornecedores para ficar com um ‘crédito’ e conseguir remarcar futuramente”, conta Isaura Silva, da Favorita Comunicações e Eventos. Segundo a cerimonialista, os fornecedores não estão devolvendo o dinheiro, mas todos estão sendo muito compreensivos.

Para Isaura, negociar o crédito é a medida mais segura no momento, já que a remarcação para o segundo semestre não garante a realização do evento. “A gente ainda não sabe se vamos poder fazer eventos nesta época ou não. Então os noivos estão esperando essa situação terminar”, completa.

Apesar de todo o cenário, Isaura observa que a pandemia não está atrapalhando a marcação para casamentos futuros. “Já fechamos contratos para agosto de 2022”. Talita complementa que o mercado tem procurado alternativas de eventos para chamar atenção de novos clientes e realizado “promoções para aderir novos contratos 2021 e 2022”.

Matéria Original — Jornal do Estado de Minas

iCasei

Desde 2007 inspirando casais a realizarem a melhor escolha…

Medium is an open platform where 170 million readers come to find insightful and dynamic thinking. Here, expert and undiscovered voices alike dive into the heart of any topic and bring new ideas to the surface. Learn more

Follow the writers, publications, and topics that matter to you, and you’ll see them on your homepage and in your inbox. Explore

If you have a story to tell, knowledge to share, or a perspective to offer — welcome home. It’s easy and free to post your thinking on any topic. Write on Medium

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store