fazer o necessário. #8

Às vezes é muito desconfortável, dolorido mesmo.
Parece que não estamos preparados, que a hora não é a melhor,
que o momento não é o ideal.
Muitas coisas parecem difíceis, e aparecem entre você, e o que é necessário fazer.
Entre sua vontade interna, e o feito.

Ora você não sente vontade, ânimo, motivação.
Outra vez você se despede dos obstáculos e tenta,
mas parece que as coisas não cooperam para o seu bem.
Será mesmo?

Ou será que você, nós, não conseguimos alcançar a abundância porque
passamos maior parte do tempo alimentando a dificuldade?

O que é necessário que seja feito é, simplesmente, o que decidimos fazer, não o que temos vontade.
Se as tarefas e afazeres do nosso dia não apontam para o que escolhemos
como importâncias em nossa vida, algo tem de errado.
Se, ainda pior, eles são exaustivamente difíceis e penosos, algo
tem de ser reavaliado.

Fazer o que é necessário só é dificuldade quando nós determinamos
que será. Fazer o que é importante só é tarefa árdua quando, tudo
o que pensamos só aponta obstáculos.

Fazer o necessário não é peso, é fluir da vida. Em nós, e através de nós.
É o caminho a ser percorrido para nos tornarmos quem somos. É a semente a ser rompida, o casulo a ser abandonado, a flor a ser revelada pro mundo, quando não resiste ao seu próprio desabrochar.

Então, sim, todas as coisas cooperam para o nosso bem.
E nada é maior do que a força que temos para realizá-lo.
Nossa parte é fazer, sem resistir. Alimentando nossa mente com tudo o que queremos alcançar, não com o que nos incomoda.

Pois qualquer que seja a sua tarefa ou trabalho a ser feito, importante mesmo é que você encontre um ofício que te faça florescer.

.

.

.

Acompanhe também em: Instagram | Facebook | Twitter | Pinterest
E, pra ser avisado em primeira-mão: Inscreva-se!