Carta para um desconhecido

“Sem data,

Eu procurei em cada esquina alguém com seu toque, seu beijo. Alguém que nem você. Eu procurei nos becos, nas praias, nas ruas. Não te achei. Eu quis você de volta, não exatamente como é agora, quis quem era antes de todo o caos. Te quis na forma inicial, quando desencadeou uma onda de tensão apaixonada no meu espírito e chorou quando eu tive que ir. Quis quando me olhava com o brilho sincero dos teus olhos verdes. Te quis quando não quis mais ninguém. Ainda te quero, mas não como é agora. Você é outra pessoa, não mais quem eu conheço. Me perdi e agora procuro alguém que não existe mais. Nunca vou te achar.

Em lamento, tua amada.”

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.