Diante das Retinas

By René Magritte

a minha verdade é minha e posso vê-la:
todas as noções de gloria são falácias!
Ser poeta é ser mais um: extinta estrela:
luz sumindo e se apagando entre as galáxias.

Olhos que leem esta lírica simplória!
Crê em mim: a eternidade é um passo breve e
toda fama, todo aplauso e toda a glória,
não fazem a cal da lápide mais leve.

No entanto, renda-te à arte: seja um réu,
confia a tua vida à tinta e ao papel
e tome a poesia como a última amada!

Só não esqueças que tudo se consome…
e que o deus Tempo ha de afundar-te o nome
feito um barquinho de papel na enxurrada.

_________

Sentiu-se contemplado? Então deixe um comentário, uma ou duas palmas, siga o perfil, e se puder compartilhe com quem você suspeita que também se contemplará. Caso queria, leia mais poemas: Amor Amorfo, Design do Eu, Enigma, Fossemos o que temos. Conheça os contos: Helena quase de Tróia, Casa de Espelhos, As contas. Beijos com lábios de navalha na ponta dos olhos.

Like what you read? Give Heberton Baptistela a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.