O Belo Em Si

Escultura por Luo Li Rong

Costumo visitar seu Facebook com alguma constância
só para saber como vai você
e se vai se separar dele um dia
– que esperança boba

Sei que já fazem três anos e alguma coisa
Eu já devia ter te olvidado
Por aí existem muitas belas
Eu com certeza as tenho contemplado
Mas todas as belezas que eu vejo ganham tua forma e me lembram tua ideia

Inclusive, este poema nasceu no ônibus, elucubrado
enquanto em pé eu ouvia Damien Rice
Nine Crimes
Inclusive, saí do ônibus andando e escrevendo, ao mesmo tempo
com fones de ouvido repetindo a música
confiando na minha memória
e nos meus instintos
Tentava não esquecer as palavras

Mas as palavras são sobre tu
Então, mesmo que eu não as lembrasse, não as esqueceria
E acho que te vi na rua, enquanto eu chegava na faculdade

Teve uma época que eu te via
por todos os cantos
Eu ainda te vejo
Eu ainda te espero
Eu ainda te odeio
E eu não me importo se soar previsível se eu disser que
Eu ainda te amo
……………………………………………………………………………………….eu acho

Ou amo de ti a tua ideia
Mas se Platão estava correto
a ideia é a essência, e a essência é o que importa
Mas… como eu te queria agora do meu lado!

Like what you read? Give Célio Amaral a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.