Repórter faz direto junto ao cadáver da dignidade de Judite Sousa

Um repórter do canal National Geographic chocou o mundo ao fazer um direto a poucos metros do local onde jazia o corpo sem vida da dignidade pessoal e profissional de Judite de Sousa, uma pessoa que costuma aparecer na televisão a dizer coisas para a câmara.

Tudo se passou numa área remota para onde os sentimentos nobres de personalidades televisivas se deslocam quando sentem a morte aproximar-se, fenómeno que há muito intriga os biólogos. O repórter em questão desculpou-se com o facto de ser uma pessoa cuja doentia sede de protagonismo se sobrepôs a tudo, devorando os últimos resquícios de sentido deontológico e empatia com o sofrimento alheio.

Judite de Sousa já reagiu ao sucedido, alegando que a dignidade falecida não lhe faz falta e já andava moribunda há muito, prometendo escrever um livro em breve que junte receitas de doces económicos e relatos de tragédia.