Fim de ano chegando, planejamentos e mudanças para todo lado mas, por maiores que sejam os motivos, nunca é fácil demitir alguém. Neste texto, trazemos uma série de dicas para fazer com que, pelo menos, este processo seja menos traumático para os envolvidos.*

Antes de qualquer coisa

Pense muito bem no que vai fazer. Certifique-se de que não vai se arrepender da decisão pois, se demitir alguém é chato, pedir para essa mesma pessoa voltar logo em seguida é mais chato ainda. Por outro lado, deixar de demitir alguém só por medo ou por não querer se incomodar com um processo de demissão é prejudicial para você, para o colaborador e para a empresa.

Além disso, cada pessoa agirá de uma forma diferente, por isso, não fique sofrendo por antecipação tentando adivinhar como o outro irá reagir. O importante é se preparar para lidar com qualquer reação que vier.

Outra coisa que você precisa considerar também é que não se deve demitir:

- Mulheres grávidas ou em período licença-maternidade;

- Vítimas de acidentes de trabalho, no período de até um ano após o retorno;

- Membros da CIPA ou membros protegidos por acordos sindicais.

Evite sustos

O ideal é que a pessoa a ser demitida seja alertada sobre como está deixando a desejar, criar e manter mecanismos de avaliação é uma boa pedida para evitar sustos. Se o sentimento de injustiça do colaborador for muito intenso, talvez seja um sinal de que é preciso revisar seus métodos de gestão.

O que NÃO fazer?

Lembre-se, estamos falando de uma relação profissional, por isso, nada de deixar as emoções (positivas ou negativas) virem à tona. Basicamente, nem amoleça demais, pois isso pode acabar dificultando sua tarefa, nem seja rude ou exponha desafetos, pois nunca é bom cultivar inimigos. Também não saia falando por aí que vai demitir alguém, descobrir que será mandado embora por terceiros vai deixar tudo pior.

É bom lembrar também que ninguém fica com muita vontade de trabalhar depois de ser demitido, por isso, se for dar algum aviso prévio que seja por uma ou duas semanas no máximo, só para arrumar o essencial.

Okay, mas o que fazer na hora de demitir?

1. Comunique o quanto antes sua decisão — Cada caso é um caso, mas, de forma geral, o quanto antes o colaborador souber de sua demissão, mais terá tempo para planejar o que vai fazer da vida.

2. Escolha o local correto — A reunião deve ser realizada de forma a preservar a privacidade do colaborador, evitando qualquer tipo de humilhação ou exposição.

3. Leve uma testemunha — A presença de outro gerente ou de alguém do RH ajuda a manter o profissionalismo da conversa e a evitar que tudo acabe em um bate-boca. O ideal é estar acompanhado de alguém que possa responder qualquer dúvida em relação ao processo de demissão.

4. Seja cordial — Uma conversa tranquila é melhor para todos os envolvidos. Agradeça pelos bons trabalhos realizados ( algo de bom sempre pode ser lembrado nessas horas) e tente manter as portas abertas. Criar inimizades nunca é bom, quem sabe o colaborador não é contratado por clientes e potenciais clientes, não é verdade?

5. Seja objetivo e explique o motivo da demissão — Não importa se trata-se de um corte de gastos, ou por um desempenho abaixo do esperado, ser demitido sem saber o motivo é sempre frustrante. Apesar disso, evite explicações extensas sobre o que houve, a decisão já foi tomada e quanto mais houver discussão a respeito, maior será o stress envolvido.

6. Evite comparações — Comparar o desempenho do colaborador com o de outros não só não contribui em nada, como pode gerar desentendimentos entre ele e a equipe.

7. Mostre segurança e paciência — Qualquer hesitação pode incentivar o demitido a questionar a decisão, seja firme. Por outro lado, depois de ouvir a palavra “demissão”, a pessoa pensará em mil coisas ao mesmo tempo provavelmente não prestará muita atenção no que você está dizendo. Esteja preparado para repetir algumas coisas e seja paciente.

8. Não se desculpe nem elogie em excesso — Frases como “Desculpe ter que fazer isto…”, “sei que é injusto, mas…” e “não queria tomar esta decisão…” somente alimentarão os questionamentos e a raiva do demitido. Se você quer destacar os pontos positivos da pessoa para levantar seu ânimo, faça isso de forma discreta, ou também acabará tendo que explicar novamente porque o mandou embora.

9. Não prometa o que não puder cumprir — Se o colaborador, por exemplo, lhe pedir uma carta de recomendação, só diga que sim se realmente estiver disposto a fazer isso, caso contrário, só criará mais conflitos e dores de cabeça.

10. Proteja a informação — Faça um backup de todos os arquivos do funcionário antes de comunicar a demissão e, se possível, troque todas as senhas em posse dele. Precaução nunca é demais e não importa o quanto você conhece seu colaborador, nunca se sabe como ele irá reagir à demissão.

11. Proteja-se — Garanta que não fiquem lacunas que permitirão eventuais processos trabalhistas. Esta tarefa que deve ser coordenada pelo departamento de Recursos Humanos. Além disso, tenha em mãos documentos que suportem a decisão, como avaliações de desempenho por exemplo.

12. Defina os detalhes — Pense em todos os pontos envolvidos na demissão, como o último salário, equipamentos que estão com o funcionário, se ele poderá ficar até o final do dia ou semana, assistência que será oferecida pela empresa, como ele voltará para casa (caso use o transporte da empresa) e etc. Ter tudo isso planejado e por escrito agilizará todo o processo e evitará perdas.

Após a demissão

De uma forma ou outra a informação discutida na reunião deve ser registrada oficialmente nos arquivos da empresa. Junte sua equipe para explicar breve e objetivamente a causa da demissão, sem entrar em detalhes que exponham o demitido. Garanta que não fique uma impressão de injustiça. E, por fim, reorganize as coisas: quem fará o serviço da pessoa demitida? Do que esta pessoa precisará? Que mudanças precisarão ser feitas para deixar tudo funcionando como antes?

E aí, gostou das dicas? Já passou por algum processo de demissão traumatizante? Comente sua experiência e vamos dialogar. Feliz 2018 e boas festas. :)

* Este texto não visa falar sobre documentos e procedimentos legais envolvidos numa demissão. Peça auxílio a um profissional de RH.