Indicadores de desempenho

O segredo do sucesso de qualquer gestão.

Segundo Peter Drucker, renomado escritor, professor e consultor austríaco, também considerado o pai da administração moderna:

“O que não é medido não pode ser gerenciado”.

Partindo dessa premissa, vamos falar de um dos maiores protagonistas de qualquer gestão bem-sucedida: os indicadores-chave de desempenho.

Indicadores-chave de desempenho são ferramentas gerenciais para medir o desempenho da organização nos mais variados sentidos.

Trabalhar com indicadores não é (e nem deve ser) exclusividade de grandes empresas, pelo contrário, encontrar indicadores chave de desempenho deve ser o primeiro passo na estruturação de qualquer negócio. Com eles, você terá dados reais e organizados, fundamentais no processo de tomada de decisões estratégicas de todas as áreas da sua empresa.

Como usá-los?

Os indicadores devem ser úteis para ajudar a entender se a empresa está caminhando no sentido de atingir um objetivo maior, caso contrário, são apenas estatísticas e métricas vazias.

Por isso, é preciso ter um bom planejamento estratégico, criando objetivos e metas claras. A partir daí, a escolha e a gestão dos indicadores de desempenho deve servir assim como guia para definir as estratégias que irão levar a empresa a atingir esses objetivos.

Os objetivos definidos devem ser:

- Compatíveis com a realidade do negócio;

- Devem implicar esforço;

- Devem ter prazos;

- Devem direcionar as estratégias da organização.

Existem diversos tipos de indicadores. Perguntas como “o que estamos tentando alcançar?”, “como saberemos se alcançamos o objetivo?” e “quais métricas me darão estas informações” podem auxiliar na escolha dos melhores indicadores para a sua empresa. É preciso também definir a frequência de acompanhamento das métricas (serão medições diárias, semanais ou mensais?). Os indicadores podem ser:

- Indicadores de produtividade: que podem estar relacionados à produtividade hora/colaborador, hora/máquina.

- Indicadores de qualidade: que ajudam a entender qualquer desvio ou não conformidade que ocorreu durante o processo produtivo.

- Indicadores de capacidade: que medem a capacidade de resposta de um processo.

- Indicadores estratégicos: que indicam e fornecem um comparativo de como está o cenário atual da empresa com relação ao que deveria ser.

Todos são igualmente importantes, pois são eles quem fornecem a visão que a empresa necessita para enxergar seus processos e conseguir uma base sólida para alinhá-los aos objetivos traçados.

Fazendo bom uso deles será possível identificar e corrigir eventuais problemas e anomalias nas atividades organizacionais, além de claro, identificar oportunidades que, de outra forma, jamais seriam notadas.

E se as metas não forem atingidas?

A tolerância aos erros é algo que deve ser considerado em prol do incentivo à criatividade e à inovação (claro que, há erros e erros, a forma de lidar com cada um deve sempre ser bem pensada). O que não pode deixar de ser feito é avaliar a situação (utilizando os indicadores de desempenho) e tomar as providências necessárias para que se corrija e se aprenda com os erros.

E você? Faz bom uso dos indicadores de desempenho na sua organização? Conte-nos sua experiência.