4 passos para alavancar a inovação nos negócios com Design Thinking

Por Esp. Leonardo Alves de Resende, gerente de processos de negócio da Algar e docente da Faculdade Politécnica

É pertinente o questionamento sobre a existência de ferramentas que auxiliem a inovação, uma vez que muitos creem que ela é apenas de cunho nato a alguns seres.

A verdade é que, assim como existem estudos que auxiliam a concluir sobre formatos de gerir melhor um projeto, existem também estudos e técnicas que auxiliam profissionais a aumentarem a sua capacidade de inovação.

David Kelley, professor da Universidade de Stanford que fundou a consultoria de inovação IDEO, e seu colega Tim Brown, atual CEO desta mesma consultoria e autor de “Change by Design”, popularizaram a ideia do Design Thinking aplicada aos negócios.

Trata-se de uma metodologia para decretar o fim das velhas ideias que, de forma resumida, expõe 4 principais passos:

1) Questione padrões

Observar um problema sob um novo ângulo pode trazer muitas respostas para uma velha questão. O método instrui para que identifique quais as crenças e dogmas que estão regendo aquele negócio e encontre caminhos alternativos com potencial de melhores resultados. “E se experimentarmos desta maneira?” “Por que não tentar deste jeito?”

2) Invista na diversidade

Pessoas com formações diferentes e experiências distintas podem trazer grandes insights e novas perspectivas para algo que já vinha sendo feito há muito tempo. Necessário não deixar de ouvir opiniões de pessoas que possuem um background diferente do seu. Afinal, elas trazem um olhar novo e maneiras diferentes de enfrentar problemas, podendo contribuir de forma muito rica para o processo.

3) Recuse o trade-off

Quando existe um dilema diante de uma decisão corporativa, o típico “ganha-se aqui, mas se perde ali”, tem-se o trade-off. Pessoas inovadoras encontram formas de driblar estes cenários e acabam achando uma saída para questões sem solução aparente. O método nos instrui a experimentar criar novas conexões de pensamento e abrir a discussão com outras pessoas, de outros níveis, áreas e negócios. De repente, a solução para um problema pode estar mais perto do que se imagina.

4) Entenda o que o cliente quer

Em geral, empresas são focadas no que sabem fazer e produzir, e em menor intensidade, na necessidade do cliente. Faz-se importante entender o que o cliente realmente necessita. Anteontem, ele estava satisfeito com o disco de vinil. Depois, migrou para o CD, que então foi substituído por downloads de arquivos que vão sendo ultrapassados pelo streaming. Mas, em cada momento, há uma solução que resolve a demanda de maneira vencedora. Para revolucionar, o método excita a pensar sempre no que o cliente realmente deseja.

O Design Thinking não é uma receita que se faz uma vez e pronto! É uma forma de pensar e abordar problemas. Transformar essas etapas em um hábito, manter a curiosidade, propiciar a abertura às mudanças e às contribuições das pessoas fazem parte do pacote.

Quer saber mais sobre como aplicar estes quatro passos no seu dia a dia profissional? Então se inscreva no MBA em Inovação e Empreendedorismo da Politécnica. Acesse o site para conhecer detalhes do curso e fazer sua inscrição.

Participe também do grupo “Inovação e Empreendedorismo” no Facebook para trocar ideias com os professores do curso e outros interessados no assunto.