Um universo de possibilidades


A primeira coisa que vem à mente após termos uma ideia é a insegurança, o medo de falhar. Por natureza, o ser humano usa sua habilidade analítica para cogitar diferentes cenários para um determinado objetivo, e o qual focamos, é o pior o possível. Isso acontece porque não queremos correr riscos, e tendemos a ficar em nossa zona de conforto. Mas você já parou para pensar no que acontece quando decidimos erguer a cabeça, pesar os riscos e aceitar as consequências de nosso ideais?

Ao decidirmos agir, começamos a ver que temos inúmeras possibilidades disponíveis ao nosso alcance. No entanto, ao nosso alcance não significa que elas sejam simples de se alcançar. Note que a capacidade que uma pessoa tem de ser bem sucedida, muitas vezes é a mesma que nós temos. Não estamos necessariamente falando de poder aquisitivo, mas sim força de vontade e determinação. Aquele nosso vizinho empresário tem as mesmas 24 horas do dia que nós temos, e mesmo assim ele teve capacidade de agir e manter sua visão.

“A vida está cheia de desafios que, se aproveitados de forma criativa, transformam-se em oportunidades.” – Marxwell Maltz

Para agirmos, o primeiro passo necessário é sairmos das nossas zonas de conforto. Isso não é nada fácil e o próprio nome deixa isso bem claro. A questão é: você quer ficar confortável do jeito que sua vida está agora, ou prefere aquele conforto que você sempre almejou, com o sabor da satisfação de saber que alcançou tudo aquilo por mérito próprio?

Todo mundo começa do mesmo lugar, e ele fica aqui embaixo. Só cabe a você deixar seus medos e inseguranças de lado, calcular os riscos e tomar as atitudes necessárias para abraçar esse universo de possibilidades que temos ao nosso dispôr.


História de Hoje:

Meu sonho sempre foi produzir jogos. Eu cresci jogando videogames e desde muito novo esse sempre foi o meu maior prazer, o meu hobby. Quando eu estava no ensino médio tive que decidir que carreira eu iria seguir, e mesmo meus pais e minha família. me influenciando para seguir outros caminhos, eu decidi aprender a programar computadores e embarquei na faculdade de Ciência da Computação. Essa decisão veio principalmente após assistir o filme TRON, que sempre foi uma referência para mim. Porém, desde que ingressei na vida universitária meu foco se tornou outro, principalmente por conta das minhas obrigações com atividades curriculares e emprego.

Minha vontade e paixão sempre foram videogames, e eu passei 3 anos da minha vida mascarando esse desejo, mesmo com todas as ferramentas e o aprendizado ao meu alcance. Eu arrumava outras responsabilidades, estudava outros assuntos, e minha prioridade nunca era produzir um jogo. Minha zona de conforto era a faculdade e o meu emprego. Por que eu deveria tomar uma atitude para mudar todo esse cenário se tudo estava indo bem?

Então eu descobri uma comunidade online de pessoas interessadas em desenvolvimento de jogos, chamada Academia de Produção de Jogos. Lá eu encontrei pessoas de todos os tipos de gostos e habilidades, desde iniciantes até experts. Isso novamente acendeu aquela chama pela criação de jogos digitais e me deu diversas habilidades essenciais para finalmente começar minha carreira dos sonhos.

Tivemos então uma Maratona de Desenvolvimento que durou 12 semanas. Tive que formar parcerias com os membros da comunidade para começar a produzir um jogo do zero ao nível funcional durante esse tempo limitado. Após finalizar a maratona e o tão esperado jogo, eu aprendi uma lição valiosa. Começar a agir é a única forma de se alcançar um sonho. Não importa o seu nível de conhecimento, de onde você é ou o que você faz hoje. O que realmente importa é você deixar qualquer que seja o problema que existe na sua vida de lado, e começar a colocar a mão na massa. Só assim você vai descobrir o seu potencial e o quanto existe ali fora esperando por você.