Sinuca de Bico

Leitura: Gênesis 2.18–24
Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. Gênesis 1.27

Depois de conversar com nossos amigos Gail e James, minha mulher me passou o telefone.
 — A Gail está fora de si — Ela disse — e James precisa falar de você.
Peguei o telefone.
 — Gail diz que eu a reprimo — disse James em tom de sarcasmo. — Ela acha que eu não a respeito.
 — É mesmo? — perguntei.
 — É. E agora quer que eu vá conversar com a conselheira dela, mas não me sinto à vontade para isso.
 — Por que não? — perguntei.
 — Bem, a conselheira dela é uma mulher, e não tenho muita certeza se posso confiar nela. Sabe como é…
 — Deixe-me ver se entendi direito — falei. — Gail acha que você não a respeita como mulher. Você não concorda com isso, mas não quer procurar a conselheira que ela indicou pelo fato de ser uma mulher?
Seguiu-se um longo período de silêncio.
Eu sabia que aquele desafio surgiria, mais cedo ou mais tarde. James só havia namorado mulheres que não competiam com ele. Gail havia amadurecido, e não era mais uma figura decorativa no casal. Ela desejava um relacionamento real. James estava sendo obrigado a rever sua atitude prejudicial e pecaminosa em relação às mulheres em geral — e Gail, em particular.
Gary Thomas, em Sacred Marriage [Matrimônio sagrado]

REFLEXÕES DE UM INTEGRUM

A Bíblia diz que a minha esposa é “osso dos meus ossos e carne da minha carne”. Ainda assim, muitos homens magoam as esposas. Em outras palavras, eles estão magoando a si mesmos.
O apóstolo Paulo comenta esse conceito em sua argumentação a respeito do relacionamento conjugal, em Efésios 5.28–29. Nessa passagem, ele nos orienta a amar nossas esposas do mesmo modo que amamos os nossos corpos. O apóstolo diz: “…ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja”.

Aquele que não honra a esposa desonra a si mesmo.
Provérbio espanhol

Não se trata de uma orientação no sentido de ser carinhoso em nome da paz conjugal. É, na verdade, um convite para desfrutar uma das maiores bênçãos da vida. Quando incentivamos nossas esposas a alcançar seu potencial máximo, estamos contribuindo para a integridade delas como pessoas. E é sempre mais satisfatório se relacionar com uma pessoa que se sente plena. Assim, podemos agregar nossa integridade a esse relacionamento e desfrutar o tipo de relacionamento que Gail desejava, e com razão. Por outro lado, quando a rivalidade e a desconfiança são alimentadas no casamento, os resultados nocivos acabam se voltando contra nós e provocando mágoas.

Minha Atitude: Vou me empenhar para dedicar à minha esposa todo o respeito que ela merece.

NVI