10 situações comuns para um introvertido

O que comumente pessoas introvertidas escutam, o que esses comentários significam e como você pode reagir a eles.

Pixabay / alexramos10

1 “Você não tem amigos?” ou “Você não conhece ninguém?”

Se conhecidos seus te veem frequentemente sozinho, eles começam a pensar que você não tem amigos para sair com você. É compreensível esse tipo de indagação. É muito comum as pessoas terem a ideia de que sair sozinho é sinônimo de fracasso e solidão. É um valor que herdamos da nossa sociedade. A solução aí é um pouco complicada: você pode explicar que gosta de sua própria companhia, mas as pessoas dificilmente entendem e aceitam essa opção — mesmo os introvertidos parecem enfrentar alguma dificuldade em reconhecer que a própria companhia é uma opção.

2“Ah, ela é assim mesmo, fala demais, fala até pelos cotovelos”

Essa frase trata das ironias e indiretas que muitas vezes ouvimos.

Em vez de a pessoa dizer “eu percebi que você fala pouco, por quê?” ela começa com indiretas. Ainda que “Nossa, você fala muito” pareça um simples oposto de “Nossa, você é quieto”, na verdade o significado pode ter uma sutil diferença.

Sabem aquela frase “Quando João fala de Pedro, sei mais de João do que Pedro” (é mais ou menos assim, na verdade) então, o mesmo se aplica a esse caso.

Quando a pessoa afirma que você é quieto ou pergunta por que você é quieto, ela constatou um fato sobre você e quer compreendê-lo; quando a pessoa diz o oposto sobre você, ela está mostrando que tem alguma insegurança de perguntar o que realmente quer saber. Pode ser por medo de te ofender ou por medo de te perguntar diretamente e ouvir uma resposta indesejável.

Nesse caso acho que vai da sua percepção sobre o outro: a indireta foi realmente um modo desajeitado de saber sobre você ou foi um mero prazer de te alfinetar? Se for a primeira opção, você pode tirar um momento e explicar para a pessoa sobre o seu jeito quieto posteriormente; se for a segunda opção, nem perca o seu tempo.

3 “Eu não consigo te entender” ou “Você é muito complicado” ou “Você é difícil de decifrar” e etc..

Na verdade qualquer variação dessa frase é a mesma coisa.

Basicamente o que acontece conosco é o seguinte: o que pensamos e sentimos é muito intenso, porém essa intensidade toda ocorre dentro de nós. Ainda que achemos que todo mundo está prestando atenção na gente e lendo o nosso pensamento (só eu que tenho essa sensação??) porque acreditamos estar reagindo de modo bastante evidente e numa proporção até exagerada, o fato é que do lado de fora nós parecemos uma pedra de tão inexpressivos que somos. Não bastassem nossos traços físicos não mudarem muito ainda que estejamos muito emocionados ou empolgados com alguma ideia, a nossa voz também não transmite muita informação para quem está do lado de fora. Mesmo eu sendo introvertida, a convivência com introvertidos é complicada. Se eu pergunto algo e a pessoa responde quase que friamente: “ah, eu gostei sim”, eu vou entender que, na verdade, ela não gostou, porque a voz e a feição não exibem emoção alguma. Nesse caso acho que é performance, é se olhar no espelho, começar a treinar a intensidade da emoção que você externa, avaliar se a intensidade exibida te agrada e se é compreensível ao outro. Por que espelho? Porque combinar emoção e intensidade, para nós, é algo trabalhoso.

Eu tenho um problema de franzir a sobrancelha quando alguém conversa comigo e a pessoa acha que estou julgando o que ela diz — sim, já me disseram isso. E eu costumo franzir a sobrancelha quando eu não estou entendendo o que a pessoa diz. Então tem dessas.. você acha que vai passar um sinal, mas a pessoa compreende de forma completamente diferente.

Para sua voz e sua feição estarem em comum acordo, é preciso percebê-los. Você pode gravar vídeos também, assim você consegue captar as nuances da sua voz.

4 “Você está bem?”, “Você está com depressão?”, “Por que você anda tão triste?”, “O que eu fiz de errado?”

Introvertidos gostam de passar um tempo sozinhos. Se você faz novos amigos que não estão familiarizados com este seu comportamento, é natural que eles se assustem e mostrem alguma preocupação. Pense: num dia você conversa com eles, dá umas gargalhadas, conta umas piadas e tal, aparenta extroversão; de repente no dia seguinte você nem dá sinal de vida, você quer passar o dia lendo para recarregar as energias do dia anterior. Bom, eles não sabem a importância disso. Se você some, eles podem achar que você está bravo ou triste com algo que eles fizeram. Se você some por muito tempo (eu faço isso), eles podem achar que você está com problemas muito sérios, tipo uma depressão. Avise com jeito que você é assim. Mas se eles não compreenderem, não entre no aspecto técnico da coisa. Não precisa dizer “ah, eu sou introvertido e preciso recarregar minhas energias após um período de socialização intensa”, diga algo mais acessível como “ah, eu já tinha me programado para terminar aquele livro, tarefa, seriado e por isso passei o dia desconectado”.

É mais fácil ainda se você associar a sua solidão a alguma atividade. Por exemplo, diga: eu gosto tanto de ler, mas tanto, que tem dias que eu preciso passar o dia todo lendo. Mesmo que você passe, na verdade, o dia todo dormindo. Pelo menos assim quando quiser ficar away do mundo, você diz aos seus amigos que vai passar os próximos dias lendo, eles vão compreender e ninguém vai achar que você sofre de misantropia aguda. rs

5 “Credo, que coisa sem graça”

É uma continuação do tópico anterior.

Se você começa a falar aos seus amigos que precisa passar o próximo final de semana todo lendo, porque ama ler, talvez eles reajam com incompreensão. Afinal as atividades mais preferidas dos introvertidos podem ser algo muito pacato e sem graça para outros.

Bom, eu os compreendo. Atividades muito estimulantes também são sem graça para mim.

6 “Nossa, você é tão mal educado” “E grosseiro” “E hostil”

Às vezes você entra mudo e sai calado, mas ainda assim dão um jeito de dizerem que você é grosso.

Muita gente compartilha da ideia de que é preciso falar, ainda que seja bobagem, o importante é sair falando por aí. Bom, falar desesperadamente tem uma “vantagem”: quem interage com você consegue ter alguma noção de como você reage ao que acontece. Agora, se você tem modos mais contidos, reservados e interage pouco com os demais, há quem encare isso como uma reprova sua ao ato do outro.

Por exemplo: alguém conta uma piada e eu não rio porque estou pensando em qualquer outra coisa naquele momento, eu nem me dou conta que alguém está contando uma piada, quem percebe que eu não ri pode considerar meu silêncio uma reprova a piada. E aí já entram outros pontos: algumas pessoas acham falta de educação você não reagir positivamente ao que os outros fazem. Enfim, outros problemas.

Em situações como essa é até difícil conseguir explicar algo sobre mim para o outro.

7 “Nossa, você é quieto”

Eu fiz um post apenas sobre o tópico “você é quieto”, sob o risco de ser vista como mal educada, vou me isentar de repetidas explicações a respeito. rs
https://medium.com/introverso/o-que-responder-quando-dizem-que-voc%C3%AA-%C3%A9-quieto-d996fc94310d

8 “Você é arrogante e metido”

Porque às vezes você tem necessidade de explicar tudo, explicar demais e as pessoas não compreendem essa necessidade.

Eu demorei muito para aprender que quando duas ou mais pessoas trocam informações incorretas, eu não devo me intrometer e corrigir a informação. É perigoso eu ser vista como arrogante e/ou mal educada.

Para o introvertido o ápice aqui nem é apontar que o outro está incorreto ou desinformado e que ele é o inteligentão da turma, o propósito muitas vezes é ver se alguém no grupo compartilha do mesmo interesse que ele. Mas como nós temos o nosso jeito peculiar de dar explicações — a gente explica para dentro — as pessoas interpretam seu tom como arrogante e pedante.

Porque você não demonstra gostar da socialização e da interação e pessoas mais comuns encaram isso como “metideza”.

Você evita aquelas festas de final de ano e outros eventos em finais de semana, por exemplo. Apenas porque socialização é uma tarefa exaustiva. Mas vai ter um que vai achar que você é metido e não quer se misturar com os demais.

9 “Você é lerdo” ou “Faz tudo devagar”

Pode ser que você fale devagar porque pensa muito ao falar ou talvez você demore para reagir ao comentário de alguém.

O introvertido pensa e sente para dentro, então antes de ele jogar sua energia para o mundo de fora, ele precisa repensá-la e revisá-la incontáveis vezes no mundo de dentro. Isso aumenta o tempo de reação. Quem está do lado de fora esperando uma resposta sua, pode perceber que você é “lento demais”.

Observações desse tipo costumam ser feitas por pessoas muito ansiosas ou extrovertidas. Explique a elas que, assim como elas têm a necessidade de responder e agir prontamente ao estímulo porque é angustiante ‘pensar demais’ e ‘processar demais o estímulo recebido’; também é angustiante para você falar e agir sem analisar cuidadosamente sua ação.

10 Você nunca está em sintonia com os demais

Nesse caso não é uma frase dita pelo outro, mas uma constatação sua — mas pode ser notado pelo outro também.

Como vivemos dentro da mente, é natural perdermos o timing de um comentário e falarmos algo quando todo mundo já terminou o assunto, ou então alguém comentar sobre A e você opinar sobre B, ou quando você finalmente começa a conversar, você percebe que o seu assunto não é bem o que as pessoas querem ouvir. Você não é uma pessoa desagradável, mas seu tempo para os assuntos está sempre dessincronizado com o resto da turma.

Eu ainda não descobri como interagir em situações que eu me vejo neste conflito. Geralmente eu fico quieta, mas aí me sinto frustrada porque eu queria falar ou fazer algo, porém já é tarde demais.

Se você souber se comportar nessas situações, por favor, me diga o que você faz porque eu também quero aprender. :)