10 livros infantis que se tornaram grandes clássicos do cinema

Confira dez histórias que, nas telas e nas páginas, encantaram jovens e adultos do mundo todo ;-)

Todo mundo tem um filme que marcou a infância. Seja pelas personagens divertidas, pelas aventuras cheias de reviravoltas ou pelos cenários de sonho, esses filmes se tornaram clássicos por encantarem gerações — e marcarem para sempre a infância como um momento tão mágico e especial. Listamos 10 filmes baseados em livros inesquecíveis, que vão apenas dar ainda mais vontade de ler o original ;-) Leia para uma criança #issomudaomundo

A Fantástica Fábrica de Chocolates O livro, de 1964, foi inspirado em uma competição real entre indústrias de chocolate! Quando Roald Dahl era pequeno, nos anos 20, as duas maiores fábricas da Inglaterra viviam criando maneiras mirabolantes de esconder segredos industriais uma das outra. Além disso, uma das marcas, a Cadbury, costumava enviar pacotes de chocolate para a casa de crianças, para que experimentassem e avaliassem antes do produto sair no mercado, e cada barra era um tesouro para as crianças da época. Deu no que deu: o livro fez o maior sucesso e já foi adaptado duas vezes para a telona.

Peter Pan Sabia que a história do menino que não queria crescer nasceu como uma peça de teatro? A história só foi se tornar um romance em 1911, sete anos depois das primeiras encenações de “Peter e Wendy”, que depois se tornou um sucesso na Brodway. A peça — que era apresentada em forma de pantomima, um estilo musical e divertido voltado para famílias — não é mais tão encenada como no passado, mas o filme já foi parar nas telonas em vários formatos.

101 Dálmatas Com poucas alterações em relação à obra original, 101 Dálmatas foi um dos filmes mais bem sucedidos de 1961, seu ano de estreia. O longa deu tão certo que foi lançado mais quatro vezes no cinema, em 1969, 1979, 1985 e em 1991, conquistando gerações de fãs em cada década. Na obra original, de Dodie Smith, Cruella de Vil era casada e tinha um gato, que foi omitido no filme.

Matilda Do mesmo autor de A Fantástica Fábrica de Chocolates, Matilda foi publicado em 1988 e, aos poucos, conquistou o mundo todo com suas adaptações para o cinema, o rádio e até para os palcos de teatro, em forma de musical. No livro, há uma versão mais amigável de Augusto Glup, o menino glutão de A Fantástica Fábrica de Chocolates, chamado Bruce Bogtrotter.

Mary Poppins Para quem quer ler a versão original desse clássico Disney, um aviso: o livro é bastante diferente! Para começar, Mary é bem menos “fofinha” do que a versão imortalizada por Julie Andrews; a babá é voluntariosa, divertida e bocuda. Escrito pela australiana P.L. Travers, o livro não perde em nada em diversão em comparação com o filme — pode curtir junto ou separadamente ;-)

Tá Chovendo Hambúrguer A história original, publicada em 1978 e escrita por Judi Barrett, é contada do ponto de uma neta que, junto com seus irmãos, ouvia histórias de seu avô antes de dormir (viu? Até nos livros, é legal ler para uma criança ;-)). O filme ganhou novos personagens e um enredo mais perto da ficção científica, mas não perdeu sua essência divertida, curiosa e, é claro, meio maluquinha.

Jumanji Apesar de ter dado origem a um longa muito marcante da infância, a versão impressa de Jumanji é praticamente um conto, cheio de ilustrações. No original, publicado em 1981, os adultos não tem vez — a história toda é contada e vivida pelas crianças, que descobrem um tabuleiro de jogos mágico.

Alice no País das Maravilhas O original de Lewis Carroll é talvez ainda mais conhecido que suas versões cinematográficas. Publicado em 1865, é o livro mais antigo da nossa lista e, talvez, tenha dado origem a todos eles: com seu estilo corajoso, desbocado e divertido, Alice não se tornou apenas uma das heroínas mais famosas da literatura, mas abriu alas para um novo tipo de literatura infanto-juvenil.

Como Treinar seu Dragão O filme de 2010 é a adaptação apenas do primeiro volume da série de Cressida Cowell, que conta com 12 livros, e é bem diferente do original. Na versão escrita pela autora, publicada em 2000, os Vikings já costumavam caçar dragões antes mesmo da história começar, enquanto no longa, uma grande guerra acontece por conta dos dragões. A autora não se incomodou com as mudanças: disse que o espírito do livro permaneceu fiel na adaptação. Bom para a gente ;-)

A História Sem Fim Um dos maiores clássicos de fantasia e do cinema infanto-juvenil, a obra de Michael Ende foi publicada primeiro em alemão, em 1979, e traduzida para o inglês somente em 1983. O longa muda alguns detalhes na narrativa, que pode render novos filmes. Mais um motivo para relembrar a infância, ver os filmes e ler os livros para uma criança ;-)

Seja no cinema ou na literatura, a gente acredita que boas histórias podem mudar o mundo ;-) Confira nossa programação no Espaço Itaú de Cinema e não esqueça da importância de ler para uma criança ;-)

Gostou dessa história? Leia também: