Como estimular os colegas de trabalho a pedalar com você

Cansado(a) de ir pedalando para o trabalho sozinho(a)? Veja as dicas que Willian Cruz, do site Vá de Bike, preparou para você estimular outros colegas ;-)

Itaú
Itaú
May 4, 2016 · 6 min read

Você começou a usar a bicicleta para ir ao trabalho e está gostando bastante. Se diverte com o vento no rosto em vez de se estressar no congestionamento, se sente livre em vez de prisioneiro do trânsito, faz o caminho que considera mais agradável em vez de ficar tentando escapar dos engarrafamentos. Mas você é o único no departamento, ou mesmo na empresa toda, que chega pedalando.

Estranhamente, seus colegas não entendem o quanto pedalar te faz bem. E não ajudam nada quando você tenta pedir um bicicletário na empresa, um vestiário ou ao menos um banheiro mais adequado para se trocar quando chega. O que fazer para iluminar esses seres e trazê-los para os tempos modernos?

Separamos sua jornada em três passos, que devem ser dados sem pressa. Dê tempo ao tempo. Muitas pessoas com quem trabalhei anos atrás, que na época não tinham a menor vontade de usar a bicicleta, hoje me procuram perguntando que bicicleta comprar e pedindo dicas, dizendo que querem começar a ir ao trabalho pedalando. Às vezes demora mesmo.

#1. Compreenda

Primeiro de tudo, você tem que aceitar que nem todos vão querer usar a bicicleta, mesmo os que moram perto do trabalho. Apesar de todos os desconfortos com congestionamento, desperdício de tempo e pesadas despesas que um carro traz, muita gente os aceita como um preço justo para se locomover sem esforço físico. Mas às vezes só o que falta é um empurrãozinho — e uma experiência positiva.

Isso tem que ser feito com jeito, aos poucos, já que hábitos e conceitos reforçados ao longo de anos são difíceis de mudar. Se você insistir demais, vai se tornar “o chato da bicicleta que quer que todo mundo pedale” e vão parar de te levar a sério. É preciso conquistar pelo exemplo.

Acima de tudo, entenda que tem gente que não vai mesmo usar a bicicleta. Nunca. E tudo bem, você não tem que evangelizar ninguém. O mais importante é que essa pessoa aceite a presença dos ciclistas nas ruas e os proteja quando estiver dirigindo, algo que se tornará natural conforme ela compreender sua escolha, perceber o quanto ela lhe faz bem e absorver a ideia de que a bicicleta é um veículo como qualquer outro, não um obstáculo atrapalhando quem dirige.

#2. Venda a ideia sutilmente

Comente com seus colegas como chegar de bicicleta lhe faz bem. Divida com eles as situações e cenas agradáveis e curiosas do caminho, como a criança que lhe deu tchau de dentro do carro, o passarinho que lhe deu um rasante ou aquele único pé de sapato que estava perdido misteriosamente no meio da rua. Mostre fotos de partes bonitas do caminho, como o pôr do sol que você parou para admirar, a fachada daquele prédio antigo ou aquela árvore florida que lhe faz sorrir toda manhã. Transmita a boa sensação que você tem ao pedalar, deixe que seus amigos compartilhem a emoção desses momentos.

São pílulas de admiração que as pessoas passarão a ter pelo deslocamento por bicicleta, pequenas sementes com potencial de florescer. Mas faça isso eventualmente, não todo dia, para não se tornar o mala que parece estar se exibindo com uma vida perfeita.

#3. Ofereça a experiência

Conforme você perceber os amigos que são mais receptivos, convide-os para passear de bicicleta num final de semana, num trajeto curto e agradável, de preferência num parque, numa ciclofaixa de lazer ou avenida aberta aos domingos. Antes de ir para as ruas, elas precisam de intimidade e habilidade com a bicicleta. E precisam ter prazer em pedalar, por isso nada de desafios físicos. Lembre-se que quem está habituado a usar a bicicleta é você.

Depois de um primeiro passeio a lazer (ou vários, pedalar é divertido!), proponha fazer o caminho da casa da pessoa até o trabalho num domingo de manhã, de brincadeira, para que ela veja que não é tão difícil assim. Explique que, se no meio do caminho ela achar que não consegue, vocês param, descansam, e voltam com calma, sem pressa. E esteja mesmo disposto a fazer isso, evite ao máximo criar uma experiência ruim que vá afastar a pessoa da pedalada definitivamente.

Estude antecipadamente o trajeto e fuja totalmente de grandes avenidas sem ciclovia e de locais com tráfego muito agressivo. Se for preciso, desmonte em alguns trechos e passe pela calçada, sem pressa, conversando distraidamente. “Escolte” seu colega, pedalando devagar e se posicionando atrás e mais para fora na rua, sinalizando para os carros. Faça-o se sentir protegido por você. Transmita confiança.

Ao longo do trajeto, vá dando dicas de posicionamento e comportamento seguro conforme as situações ocorrem. E quando chegar naquela subida inevitável, desça, empurre e pare um pouco na sombra na metade da ladeira para tomarem uma água. Lembre-se que seu amigo provavelmente não está habituado a esforço físico e vai se cansar muito mais que você, portanto não force.

Ele desistiu no meio do caminho e quer voltar? Explique o quanto falta, diga que podem descansar e que você vai acompanhá-lo de perto até o objetivo, mas se ele estiver irredutível, respeite isso e o leve de volta. Não fale nada sobre tentar outro dia, deixe para oferecer isso novamente depois de algum tempo, durante o qual ele pode treinar mais um pouco no parque nos finais de semana.

Ele foi até o final e chegou na porta da empresa? Comemore! Lhe dê um abraço, diga que quando voltarem vai pagar uma cerveja, tire uma foto para ele mostrar para os colegas da empresa depois. Faça-o sentir orgulho do que conseguiu. E leve-o direitinho para casa, parando sempre que ele estiver cansado.

#4. Dê apoio para o início

Ofereça para escoltá-lo de casa até o trabalho uma manhã, levando-o de volta no final do dia. Isso é muito importante. Se não puder fazê-lo, peça para ele pedir a ajuda de um Bike Anjo, um voluntário que fará isso gratuitamente.

Diga para ele reservar um tempo para chegar na empresa pouca coisa maior do que o que foi gasto naquele dia teste, incluindo assim um adicional para prender a bicicleta e trocar de roupa ao chegar. Se possível, carregue as coisas dele no bagageiro da sua bicicleta ou junto das suas na sua mochila. Facilite o máximo que puder, pois uma ótima experiência inicial é fator determinante para a adoção da bicicleta.

Explique que ele não precisa fazer isso todos os dias, só quando sentir vontade; que ele pode deixar as roupas no trabalho no dia anterior e pedalar de bermuda e camiseta; que você o ajudará sempre que ele precisar, tanto com conselhos e dicas quanto pedalando junto em ao menos uma parte do trajeto, conforme possível. Mostre que você está ali para apoiá-lo, até mesmo se sua decisão for desistir. Dando todo esse apoio, você não conseguirá apenas mais um ciclista pedalando na cidade: terá um amigo para a vida toda.

_

E aí, será que com essas dicas você consegue convencer os colegas de trabalho a pedalar com você? Aproveite e veja outros conteúdos que preparamos especialmente para o mês de ir de bike para o trabalho:

Histórias que mudam o mundo

Cultura, educação, mobilidade urbana, esporte. Suas escolhas #issomudaomundo

Itaú

Written by

Itaú

Estamos aqui para contar histórias sobre cultura, educação, esporte, mobilidade urbana e ações que mudam o mundo para melhor. Acompanhe em medium.com/itau ;-)

Histórias que mudam o mundo

Cultura, educação, mobilidade urbana, esporte. Suas escolhas #issomudaomundo

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade