Uma reflexão nostálgica sobre o tempo

Por Luciano Amaral

Nostalgia: Ator e apresentador, Luciano Amaral relembra os tempos de Castelo Rá-Tim-Bum e Mundo da Lua ;-)

No princípio, tudo era escuridão… Até que veio a Luz, acompanhada de Câmera e Ação. Essas três palavras se misturam às primeiras lembranças mais nítidas de minha infância, afinal, aos 6 anos já dava os primeiros passos e decorava as primeiras falas de uma carreira que completa 30 anos em 2016.

E prontamente vem a pergunta mais do que corriqueira: Mas trabalhando desde tão pequeno, você teve tempo para aproveitar a sua infância?. Conciliar horas e horas de gravação com os estudos, que jamais foram deixados num segundo plano, implicou, certamente, em maiores responsabilidades e, por consequência, em momentos em que foi necessário abrir mão daquela festinha de aniversário e, já na adolescência, daquela balada com os amigos.

Entretanto, além de todo tempo livre ser destinado a instantes únicos de lazer, tive a sorte — se é que ela existe — de viver uma “grande brincadeira” no universo da fantasia com o “Mundo da Lua” e o “Castelo Rá-Tim-Bum”, programas que mexeram e mexem até hoje com o imaginário de diversas gerações. Todo o processo lúdico envolvido nessas produções inesquecíveis marcou indelevelmente não apenas a cada uma das milhares de pessoas que me diz Você fez parte da minha infância, como também o meu ser, que foi sendo formado pela mistura de minha própria inventividade infantil com a dos personagens Lucas Silva e Silva e Pedro.

Embora possa ter perdido o “meu tempo” com o trabalho, hoje, ao ver a força que essas obras ainda exercem, percebo que o tempo não me perdeu, visto que a arte realmente tem a capacidade de eternizar, comunicando-se através do seu poder universal com qualquer que seja a época.

E à medida que os anos se passaram, fui também tomando a consciência de que o equilíbrio entre trabalhar e dedicar um tempo livre para mim é fundamental para o sucesso de outro tipo de arte: a arte de viver.

“E que tal compartilhar cada Ato do espetáculo da vida com as pessoas que nos são importantes?”

Essa arte, acessível a todo mundo, decidi experimentá-la na prática dia a dia e, para tanto, fiz do videogame, uma de minhas fontes de lazer, o meu trabalho. Produzir e apresentar um programa de TV sobre videogames faz com que o trabalho se torne a minha diversão e vice-versa. Quando se faz o que se ama, a prioridade está presente em cada um de seus atos.

E que tal compartilhar cada Ato do espetáculo da vida com as pessoas que nos são importantes? Pois isso não deixa de ser uma forma de eternizar uma obra da qual somos protagonistas. Se me alegro sempre ao ouvir Você fez parte da minha infância, definitivamente trará mais satisfação poder ouvir de quem se ama, já no apagar das luzes de nosso espetáculo: Você fez parte da minha vida. Porque quando as cortinas se fecham no final, tudo é escuridão… O que sobra são os aplausos.


A vida não é medida em minutos, mas em momentos 😉 Veja nossa mensagem de fim de ano:


Like what you read? Give Itaú a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.