Data Science e a Publicidade

João Malossi
Oct 9, 2018 · 3 min read

Quando você é libriano(a) e entra no mundo da publicidade, passa a perceber que isso pode ser um problema gigante. Isso porque você pode trabalhar em tantas áreas que fica até difícil escolher.

Você vai conhecer gente que gosta de design, artes, criação e entretenimento, mas também pessoas que se identificam com a parte de planejamento, dados, pesquisa e comportamento.

E isso é uma das coisas mais legais dessa área: você pode transitar entre os dois lados do cérebro (o lado analítico e o lado mais artístico), usando como ponte a sua criatividade. Porque, sim: tem como ser criativo mesmo trabalhando com dados.

Uma das grandes 'hot trends' do momento é falar sobre big data e data science. E é tão 'hot' que já foi chamada de 'a profissão mais sexy deste século' pela Harvard Business Review.

É uma área que não é recente, mas há pouco tempo começou a se popularizar devido à quantidade enorme de dados que produzimos e as possibilidades para analisar e visualizar eles.

Pra você ter uma ideia: estima-se que uma pessoa é capaz de produzir cerca de seis jornais completos por dia, seja em conversas, mensagens e troca de dados. Isso, sem falar nos 'rastros digitais' que deixamos na web, que são chamados de dados não estruturados (ou, como você já deve ter ouvido por aí, o tal do big data).

Toda essa quantidade de dados públicos dá margem para que possamos investigar e entender padrões comportamentais (social cracking), criar modelos de previsão (regressões, redes neurais), extrair insights, definir públicos (clusterização) e testar hipóteses. Viu só quanta palavra bonita?

E isso quer dizer que hoje em dia é muito mais fácil mensurar e potencializar os resultados de qualquer empresa com bastante facilidade, mesmo se ela for não for uma empresa gigantesca, tipo aquele bar aqui de Passo Fundo, o 'Tô no Trabalho'.

E pra mostrar como dá pra brincar bastante com dados de uma forma um pouco diferente do convencional eu vou deixar algumas dicas aqui pra você conferir:

Links:

Utilizando data science para fazer a playlist mais feliz do Radiohead

Um estudo sobre os programas da Netflix

Alguns detalhes técnicos e desafios do projeto “A voz da arte — IBM | Watson”

Livros:

Freakonomics. O Lado Oculto e Inesperado de Tudo que nos Afeta — Freakonomics é um dos livros mais legais sobre a economia e as correlações excêntricas do nosso dia a dia que ela pode ter, como, por exemplo, a questão de que a legalização do aborto seria a grande responsável pela redução das taxas de criminalidade nos Estados Unidos.

DISCOVERING STATISTICS — Uma história de ficção científica, com pitadinhas de HQs, que ensina como funciona a estatística desde a parte mais básica.

Data Smart. Usando Data Science Para Transformar Informação em Insight — Este livro mostra técnicas significativas, como elas funcionam, como usá-las, e como elas trazem benefícios para o seu negócio, seja ele pequeno ou grande.

Filmes:

Moneyball

O dirigente de um time de beisebol nunca concordou com a sabedoria convencional que domina o mundo do esporte. Surpreendido com um corte no orçamento do clube, ele e seu parceiro, um economista, recrutam jogadores mais baratos, mas com potencial, através de análise de dados.

João Malossi

Este é meu blog pessoal, onde escrevo textos sobre publicidade, design, data science e cultura. Acompanhe!

João Malossi

Written by

Publicitário, cientista de dados, entusiasta de novas tecnologias, apreciador de cervejas e músico de notebook nas horas vagas.

João Malossi

Este é meu blog pessoal, onde escrevo textos sobre publicidade, design, data science e cultura. Acompanhe!

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade