Manifestação pela redução de salários de vereadores interrompe sessão da Câmara

Manifestantes na Câmara pedem redução de salários aos gritos de “Outro aumento eu não aguento”. (foto: Monique Portela)
por Matheus Nascimento | informações de Monique Portela

O presidente da Câmara dos vereadores de Curitiba, Ailton Araújo (PSC), suspendeu a sessão da casa na manhã desta quarta-feira (17). A suspensão ocorreu após ele autorizar a entrada no plenário de 30 pessoas, integrantes do movimento Primavera Cidadã, que pede a redução dos salários dos vereadores da cidade. Araújo argumentou que os manifestantes, que gritavam palavras de ordem, estavam tumultuando a sessão.

O movimento foi até a Câmara para pedir a redução dos rendimentos durante a sessão de hoje. Algumas das propostas, contidas no site do Primavera Cidadã, são a redução do salário dos vereadores, que atualmente é de cerca de 15 mil reais por mês, para cerca de 3,2 mil, mínimo necessário estipulado pelo DIEESE, a redução do número de assessores de cada vereador, de sete para três, e o fim de cotas mensais para uso de carros e compra de combustível. Neste caso, os vereadores seriam isentos da tarifa do transporte coletivo.

Paulo Salamuni (PV) argumentou que os manifestantes deveriam prestar atenção a outros poderes ao pedir a redução dos vencimentos, lembrando a eles de que a Câmara abriu as portas para que os membros do movimento pudessem entrar. Ele disse ainda que, atualmente, não há nenhum projeto protocolado no Legislativo municipal que preveja o aumento dos salários dos vereadores de Curitiba.

O Primavera Cidadã pretende apresentar suas propostas por meio de um projeto de iniciativa popular. Para concretizar este objetivo, são necessárias cerca de 60 mil assinaturas de eleitores de Curitiba. Até o momento, foram conseguidas aproximadamente 10 mil. Nesta manhã, na frente da Câmara, alunas do colégio estadual Professora Munhoz Maeder faziam a coleta das assinaturas.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Jorlab’s story.