Segundas-feiras podem ser fatais para quem é depressivo

A falta de boas perspectivas diminui o ânimo para o começo da semana em quem tem problemas de saúde ou na vida cotidiana

Ter que voltar a encarar o transporte público, o trânsito e o trabalho faz com que muita gente comece a semana desanimada (Foto: Matheus Nascimento)
Reportagem de Matheus Nascimento

“Onde já se viu?” é a frase que André Fabrício de Souza, professor de Sociologia de 27 anos, de Maringá, costuma ouvir dos amigos quando diz que a segunda-feira é o seu dia predileto na semana. Ele também choca os mais próximos ao dizer que seu segundo dia predileto em uma semana é o domingo.

A preferência pela segunda-feira, no caso dele, é física e também mental. “Eu estou descansado, no domingo eu não fiz nada, aí acordo super disposto e animado”, conta. André diz ainda que, por ser afeito a rotina, gosta das segundas porque elas costumam ser “um recomeço”. Seu dia menos querido? O sábado. “Não é que eu deteste o sábado, mas detesto sair de casa no sábado”.

Certamente, o também professor Chico Freitas, de 27 anos, seria uma das pessoas surpresas com a animação do colega de profissão. Freitas diz que a segunda representa, para ele, o “primeiro dia de tortura” todas as semanas. A tortura? Acordar cedo.“Tenho que acordar 5h pra estar às 7h na escola em que eu trabalho, que fica do outro lado da cidade”, conta ele, que vive em Niterói (RJ).

A pista fornecida por Chico pode ajudar a entender uma parte do fenômeno, atestado por inúmeras pesquisas, como a da empresa inglesa One Poll, referenciada em reportagem da revista Superinteressante publicada em julho de 2012. Uma das informações do levantamento é a de que ao menos 50% dos trabalhadores não chegam no horário certo ao trabalho na segunda. O fato pode ser explicado tanto pelo desânimo deles quanto pelo trânsito das cidades, cada vez pior.

Chico, que diz utilizar a função soneca do despertador “às vezes”, acrescenta à sua má vontade com as segundas o estresse do trabalho. “Você se esforça pra aceitar que essa é a desgraça de vida que você leva: levantar às 5h para entrar numa sala de aula com 30 a 35 alunos, sabendo que poucos prestarão atenção na aula”. Ainda assim, ele diz que leva uma vida feliz.

Para quem tem problemas como a depressão, porém, o problema se agrava mais. Levantamento do Escritório de Estatísticas Nacionais da Inglaterra mostra que a incidência de suicídios nas segundas (17%) é maior do que nos dois dias anteriores (por volta de 13%). Já o British Medical Journal informa que 20% dos infartos são nas segundas, por causa de problemas como estresse e pressão alta.

Karla Gloria, que é psicóloga cognitivo comportamental e mestranda pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) explica que a segunda pode trazer horizontes pouco animadores para quem já enfrenta um quadro de depressão. “A pessoa deprimida é extremamente pessimista sobre o futuro dela, e quando vai chegando o domingo, vai ficando com isso na cabeça, com essa coisa negativa, que a gente chama de desesperança”. A falta de expectativa de algo bom ou neutro leva a um quadro de “pessimismo”, segundo Karla.

“Muita gente, às vezes, nem consegue ter um bom final de semana por causa disso”, complementa a psicóloga. Portanto, se você sentir-se deprimido no domingo de noite, pensando no trabalho ou nos estudos, saiba: você não está só.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.