O brasileiro precisa urgentemente dessa qualidade

O JUIZ SÉRGIO MORO É NOSSA PERSONALIDADE GENUÍNA PREDILETA HOJE EM DIA. A PESSOA NO OUTRO EXTREMO, VOCÊ JÁ DEVE IMAGINAR QUEM É.

O Brasil está engolido por uma crise moral de proporções gigantescas. Entender o que faz e o que significa ser genuíno pode nos ajudar a nos entender melhor e acabar de vez com a confusão ética na qual vivemos.

Quando você está desenvolvendo um novo negócio, avaliando um candidato político ou novos amigos, você sempre acaba olhando inconscientemente (ou não) para as pessoas que são genuínas. Afinal, ninguém quer trabalhar, votar (pensou em alguém?) ou sair com um impostor. Por outro lado, isso diz respeito a você também. Aposto que você nunca considerou isso.

‘Genuíno’ significa real, verdadeiro, sincero, honesto.

Pessoas genuínas são mais ou menos a mesma pessoa do lado de dentro como também no seu comportamento do lado de fora. Infelizmente, essa é uma qualidade difícil de se discernir. O problema é que todas as interações humanas são relativas. Elas são uma função do modo como percebemos uns aos outros através de nossas próprias lentes subjetivas.

Ser genuíno também é uma qualidade rara. Em um mundo cheio de modismos falsos, hypes da mídia, personas virtuais, pensadores positivos, e marcas pessoais… onde todos querem que eles não têm, ninguém está contente em ser quem se é e, mais importante, ninguém está disposto a admitir nada disso — a pessoa genuína está se tornando mais e mais rara.

Para ajudar a identificar este tipo raro de pessoa — até mesmo em si mesmo — aqui vai uma lista de como as pessoas verdadeiras se comportam:

  • Eles não procuram atenção. Eles não precisam da validação constante do seu próprio ego. Os ultra-carentes por atenção tem um vazio que constantemente precisa ser preenchido, já as pessoas genuínas estão preenchidas com a auto-confiança e auto-consciência.
  • Eles não estão preocupados com serem amados. A necessidade de ser amado nasce da insegurança e narcisismo. Isso cria uma necessidade de manipular as emoções próprias e as das outras pessoas. As pessoas confiantes e autênticas são simplesmente elas próprias. Se você gosta deles, tudo bem. Se não, tudo bem também.
  • Eles podem perceber quando os outros estão cheios de si mesmo. Talvez as pessoas ingênuas possam ser facilmente enganadas, mas as pessoas genuínas não são ingênuas. Elas estão conectadas a realidade o que lhes dá uma linha base a partir da qual elas podem perceber quando os outros estão ou não sendo verdadeiros.
  • Eles estão confortáveis ​​em sua própria pele. Nos anos 70, o ator Leonard Nimoy disse que estava mais perto do que nunca de estar tão confortável com ele mesmo como Spock parecia ser. A maioria de nós luta com isso. Como Henry David Thoreau observou: “A maioria das pessoas leva uma vida num desespero silencioso.”
  • Eles fazem o que dizem e dizem o que querem dizer. Eles não tendem a exagerar. Eles cumprir os seus compromissos. E eles não medem suas palavras ou adoçam a verdade. Se você precisa ouvi a verdade, eles vão te dizer … mesmo que seja difícil para eles, dizer e para você, ouvir.
  • Eles não precisam de um monte de coisas. Quando você estiver confortável com quem você é, você não precisa de um monte de coisas externas para ser feliz. Você sabe onde encontrar a felicidade — dentro de si mesmo, nos seus entes queridos, e no seu trabalho. Você encontra a felicidade nas coisas simples.
  • Eles não tem pele fina. Eles não se levam muito a sério assim não se ofendem com facilidade.
  • Eles não são excessivamente modestos ou prepotentes. Uma vez que eles estão confiantes de seus pontos fortes, eles não precisam se gabar sobre eles. Da mesma forma, eles não apresentam falsa modéstia. A humildade é uma característica positiva mas é melhor ainda quando é apenas justa.
  • Eles são consistentes. Você poderia descrever pessoas genuínas como sendo robustas, sólidas e substanciais. Uma vez que eles se conhecem bem e estão em contato com suas emoções genuínas, eles são mais ou menos previsíveis … pro lado certo.
  • Eles praticam o que pregam. Eles provavelmente não vão aconselhar as pessoas a fazerem algo que não iriam fazer eles mesmos. Afinal, as pessoas genuínas sabem que não são melhores que ninguém, e não é da sua natureza serem hipócritas.

Todos esses comportamentos aparentemente diferentes têm a mesma coisa em seu cerne: uma auto-consciência que é consistente com a realidade. As pessoas genuínas se vêem como outros o fariam se fossem observadores externos. Não há um monte de processamento, manipulação, ou controle acontecendo entre o que está na sua cabeça e que as pessoas vêem e ouvem.

Uma vez que você começa a conhecê-las, as pessoas genuínas tendem a ser mais ou menos consistentes com a forma como inicialmente se fizeram parecer. O que você vê é o que você leva. É triste que, no Brasil de hoje, uma qualidade tão positiva esteja sob risco de tornar-se extinta.


Artigo adaptado da Entrepreneur

Originally published at www.jornaldoempreendedor.com.br on February 17, 2016.