6 lojas são autuadas na Black Friday em Bauru

Irregularidade na divulgação dos preços é motivo que mais aparece na lista do Procon-SP

Antes da data, anúncios já estampavam fachadas de estabelecimentos pelas ruas de Bauru (Foto: Bibiana Garrido/JORNAL DOIS)

Por Bibiana Garrido


Três lojas no Boulevard Shopping, duas no Bauru Shopping e uma na Batista de Carvalho receberam atuações e notificações da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP) por irregularidades na Black Friday em Bauru.

Ao todo são seis estabelecimentos: duas unidades das Lojas Americanas, uma no centro, outra no Bauru Shopping, Le Postiche, também no Bauru Shopping, Arezzo, Side Walk e Ri Happy no Boulevard Shopping.

O Procon fiscalizou 21 lojas da cidade, dez a mais do que no ano passado. Em 2017, assim como este ano, foram seis autuadas. “Dois meses antes da Black Friday a gente começa a monitorar os preços para ver se os descontos oferecidos vão ser realmente efetivos”, explica Valéria Cunha, coordenadora do Núcleo Regional em Bauru do Procon Estadual.

Em comparação com 2017, a Black Friday deste ano teve um aumento de 22% nas reclamações de consumidores no ReclameAqui. A classificação das empresas mais mencionadas está disponível na página inicial do site.

Entre as irregularidades encontradas este ano, a mais comum foi a falta de transparência na divulgação dos preços — a coordenadora avalia que essa é uma prática comum na época. “Às vezes anunciam uma promoção de até 50%, aí você vai lá e não tem nada com esse desconto. E se tem, a empresa não coloca o novo valor, isso é irregular. O consumidor não tem que calcular, é a loja que tem que mostrar o preço original e o preço com desconto”.

A imprecisão nas ofertas e a omissão do valor dos produtos à vista também foram registradas na fiscalização. Nas Lojas Americanas da Batista, além da inadequação na informação do preço, faltava sinalização adequada para fila preferencial.

Para acessar a lista completa, clique aqui (Fonte: Procon-SP/Reprodução)

Segundo Valéria, o procedimento da autuação tem como primeiro passo o auto de constatação da irregularidade, para depois ser encaminhado o auto de infração ao estabelecimento.São 15 dias para apresentar defesa. “Caso não tenha resposta ou caso não seja aceito o argumento da defesa, a multa é aplicada proporcionalmente ao tamanho da empresa”, informa.

Da meia-noite de quinta até a meia-noite de sexta, o Procon-SP fez um plantão para receber denúncias na Black Friday. A operação em Bauru foi parte da iniciativa estadual que autuou 122 de 255 estabelecimentos visitados.

Nas solicitações individuais, foram 708 consumidores de todo estado que registraram insatisfação. Os principais motivos foram a maquiagem de descontos e produtos oferecidos que não estavam disponíveis. O Grupo Pão de Açúcar, responsável pelos supermercados Pão de Açúcar, Extra, lojas Ponto Frio e Casas Bahia, foi o mais citado.

Para a coordenadora do Procon-SP em Bauru, a internet continua sendo o campo de maior crescimento nas reclamações da Black Friday. “Nas lojas a gente vem observando que houve promoções mais consistentes”, pontua, em referência à fiscalização em Bauru. “Os problemas são principalmente nas compras pela internet”, diz Valéria.

Data tradicional nos Estados Unidos desde 2001, a Black Friday chegou ao Brasil em 2010. Há oito anos, a última sexta-feira do mês de novembro vem com a promessa de grandes descontos em todos os setores do mercado.

Pelas ruas de Bauru, não é raro ver o anúncio de promoções que duram mais dias, semanas, ou até o mês inteiro, em diversos estabelecimentos.


Serviço

Procon Municipal Bauru — Comdecon:

Atendimento no Poupatempo | (14) 3102–1193 ou 3102–1194