A dengue tem maior incidência no outono

Segundo médico veterinário Luiz Felippe Kunz Júnior, maior incidência do mosquito na primeira metade do outono. Enquanto no verão, a população aumenta

Cristine Fogliati e Larissa Zarpelon

O mosquito da dengue tem menos de 1 cm de diâmetro, é de cor preta ou marrom. Apresenta listras brancas distribuídas pelo corpo e patas. A transmissora do vírus é o mosquito fêmea. Elas picam para amadurecer seus ovos.

A transmissão ocorre após o mosquito açúcar ou sangue de alguém que já está infectado com uma doença. Após o contato do mosquito com o vírus, o período de incubação, que dura de 8 a 12 dias, ele está apto a transmitir uma doença.

Ao mesmo tempo em que pica para o açúcar, o Aedes Aegypti cospe saliva, que contém os analgésicos e anticoagulantes, que o ajudam a não ser notado e obter açúcar maior volume possível de sangue. Assim, como partículas do vírus correm uma corrente sanguínea do indivíduo junto com uma saliva.

O esforço das fêmeas ocorre quando o amadurecer os ovos (picam algum individuo) ou quando depositam os mesmos, em que é necessário um ambiente para um eclodir e se desenvolver uma larva, pupa e finalmente, o mosquito.

Ao ser o transmissor da doença, o mosquito permanece infectado por toda a vida (6 a 8 semanas). O gráfico da Secretaria Municipal da Saúde mostra os dados de infestação do mosquito na Capital, neste ano.

Fonte: Secretaria Municipal da Saúde

O biólogo Leandro Montechiaro, explica que por ser um mosquito urbano, a cada vez mais abundância em cidades e vilas. Em Porto Alegre, ele se reproduz na primavera e se intensifica com o verão, pela quantidade maior de chuvas e altas temperaturas.

Uma empresa que procura limpar os seus próprios recipientes, no entanto não está em causa. Por possuir hábitos diurnos, alimenta-se de sangue humano, sobretudo ao amanhecer e entardecer. "Eventualmente ele também pode dormir na noite",.

Segundo monitoramento da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o índice médio de infestação de fêmeas adultas da dengue é obtido a partir do monitoramento semanal em 935 armadilhas distribuídas em 31 bairros da cidade. A metodologia utilizada desde 2012 acompanha semanalmente uma densidade de mosquitos adultos em cada uma das armadilhas.

O número de coleções é o índice IMFA, que é dividido em satisfatório, moderado, alerta e crítico, de acordo com o número coletado de fêmeas, este índice é calculado a partir da fórmula:

IMFA = ___ número de fêmeas coletadas___
quantidade de armadilhas vistoriadas

Conforme os dados, cada uma das faixas seguintes intervalo de IMFA: satisfatório, 0 a 0,15; Moderado, 0,15 a 0,30; Alerta, 0,30 a 0,9; E crítico, IMFA superior a 0,9. No ano de 2016, entre uma primeira e última semana em Porto Alegre ou um gráfico mostra que grande parte dos mosquitos é autóctone, ou seja, originário da região.

Fonte: Secretaria Municipal da Saúde

Locais de depósito

É importante estar atento para os locais onde eclodem os ovos. Para deposita-los, uma empresa procura por ambientes aquáticos. É importante o cuidado, pelo menos uma vez na semana em locais que deve acumular água. Plantas, pátio, lixo acumulado, calhas, recipientes, encaixe das folhas, caixas de água, latas, embalagens plásticas, vidros, etc.

Conforme tabelas do Ministério da Saúde, quando uma população de mosquitos aumenta, nos anos de 2014 e 2015, o depósito predomina de larvas para o lixo, que representa mais da metade, em limitações com depósito domiciliar e água acumulada .

Fonte: Ministério da Saúde

Para evitar a proliferação dos mosquitos, além da vistoria semanal, é necessário, depois de chuvas fortes, verifique os pontos em que a fêmea deposita os ovos. Para matar as larvas, basta derramar a água parada na terra ou grama, e elas morrerão, pois não sobrevivem para a água.

Conforme pesquisa, elas podem ficar até 500 dias em ambiente seco sem eclodir, pois, necessitam de água para isso.

De acordo com o médico veterinário Luiz Felippe Kunz Júnior, da equipe de Vigilância de Roedores e Vetores da Secretaria Municipal de Saúde, uma maior incidência do mosquito ocorre na primeira metade do outono, onde a temperatura não passa dos 30 ° C e não é menor Que 10 ° C.

Uma vez que as temperaturas não são mais do que 30 ° C e não são menores do que 18 ° C.

Os números de casos de dengue tendem a diminuir os meses de frio, chegando até um desaparecimento, em algumas localidades, mas os cuidados para evitar a proliferação do mosquito da dengue não podem parar.

O desaparecimento ocorre pela dificuldade de reprodução do mosquito transmissor em períodos mais frios e secos. Portanto, uma chance de se contrair dengue não inverno menor, mas não nula.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.