A hora e a vez da Reforma Agrária em Minas Gerais

Por Jornalistas Livres


Dois mil sem terra vêm à capital para cobrar do governo os compromissos assumidos com os camponeses mineiros.

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra chega a Belo Horizonte a partir desta terça-feira, 18, para iniciar a Jornada Mineira de Lutas por Reforma Agrária. A jornada tem como foco denunciar a paralisação da Reforma Agrária no país, a política econômica perversa do governo federal, que coloca em risco a conquista de direitos dos trabalhadores e cobrar o compromisso do Ministério do Desenvolvimento Agrário em assentar todas as 5 mil famílias acampadas do MST no estado.

Foto: Mídia NINJA

O movimento trás reivindicações históricas que o governo garantiu atender, como a erradicação da pobreza no campo, o investimento em infraestrutura e no desenvolvimento dos assentamentos, bem como um programa de agroindústrias, o desenvolvimento de um plano de recuperação ambiental para o estado, a abertura de escolas do campo e a garantia de desapropriações das áreas emblemáticas: acampamento Terra Prometida, onde aconteceu o massacre de Felisburgo; o acampamento Nova Vida, em Novo Cruzeiro, onde as famílias resistem há 14 anos e a fazenda Ariadnópolis, na qual vários acampamentos resistem há 16 anos. De acordo com Silvio Netto, da coordenação estadual do movimento, “não tem mais motivos para adiar o atendimento das nossas demandas.” Ele afirma ainda que reconhece a abertura do governo para diálogo, mas reitera “somente conversa não basta, precisamos de ações concretas”.

Foto: Mídia NINJA

A jornada começou às 7 horas da manhã com uma grande marcha pela avenida Cristiano Machado até a cidade administrativa, onde se realiza um ato político pela Reforma Agrária. Na parte da manhã, uma agenda extensa de negociações está em curso com 8 Secretarias de Estado. A agenda envolve a Secretaria de Governo, Planejamento, Desenvolvimento Agrário, Desenvolvimento Econômico e Social, Educação, Saúde, Cultura e Direitos Humanos, Cidadania e Participação Social.

Foto: Mídia NINJA

No período da tarde a expectativa é que o movimento se reúna com o Governador Fernando Pimentel para que tenham um retorno sobre as reinvindicações e a rodada de negociações desta manhã. Em seguida, o MST montará acampamento na Assembleia Legislativa, onde continuará a programação da suas atividades nos dias 19 e 20 de agosto.

O dia 18 de agosto de 2015 marca uma grande jornada pela Reforma Agrária em Minas Gerais e é histórico, por marcar a primeira grande ocupação massiva da cidade administrativa feita por um movimento social. Nestes mais de 4 anos de existência do movimento, esta é a primeira vez que isso acontece. E que seja assim, porteira que passa um boi, passa uma boiada. Que esta seja a primeira de muitas ocupações dos movimentos sociais no espaço de poder e tomada de decisão do estado, que o povo ocupe a cidade administrativa.

Foto: Mídia NINJA
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.