Estranhos no ninho

Por Laura Capriglione e Lina Marinelli, especial para os Jornalistas Livres. Edição de vídeo: Alex Demian.


O dia 16 de agosto foi um domingão legal para a família do catador de material reciclável Tiago Santos, que arrecadou cerca de R$ 700 em doações em dinheiro (presenciadas pelos Jornalistas Livres), churrasquinho, pipoca, 15 camisetas e uma bandeira brasileira, além de afagos entusiasmados nos cachorros Bob e Costela. Os “fora Dilma”, “fora Lula” e “fora PT”, eufóricos, comemoravam a presença de um autêntico miserável manifestando-se contra o governo Dilma.

“Tiago, Tiago! Olha pra cá, por favor!” Durante algumas horas ele foi tratado como amigo, irmão, amigo e parceiro por centenas de pessoas. Pediam-lhe selfies, filmaram, entrevistaram, homenageavam. Deram dinheiro. Tiago Santos, de 27 anos, conheceu o seu dia de glória na avenida Paulista de domingo passado (16/08), desfilando com a família negra e pobre, os cachorros e a carroça de catador adornada com cartaz em que se lia: “Fora Dilma. Fora PT. Fora corruptos”.

Com renda mensal de R$ 800 (obtidos da soma dos proventos com a atividade de reciclagem mais os R$ 380 do bolsa-família), Tiago usava camiseta amarela estampada com uma imagem de Dilma com nariz de Pinóquio. O filho mais velho, Juan, de 5 anos, vestia uma camiseta em que se lia “Fora Dilma”. A pequenina Isabelle, de 3, estava com uma da seleção brasileira. A companheira de Tiago, que disse se chamar Simone Gata, 18 anos, enrolava-se em uma bandeira do Brasil. Até os cachorros Bob e Costela, que não paravam de praticar sexo livre na avenida, estavam chiques demais em seus lenços com motivos pátrios.

Manifestantes faziam entrevistas gravadas com Tiago, a fim de distribuir nas redes sociais, como prova de que a manifestação anti-Dilma não era composta apenas pela chamada elite branca. Eis uma dessas, surreal:

Entrevistador Paulo de Almeida — “Você não é pobre… quer dizer, você não é rico e você é negro. O pessoal [do governo] diz que aqui só tem a elite branca. Você tem alguma coisa a dizer sobre isso?”

Tiago Santos— Sobre a elite branca? Essas coisas assim?…

Paulo de Almeida — Não, né! Você não conhece. Mas você é contra o governo.

Tiago Santos — Contra as atitudes do governo…

Paulo de Almeida — Exatamente! Entendi! Você é a favor do Brasil.

Tiago Santos— A favor do Brasil.

Paulo de Almeida — É contra a corrupção!

Tiago Santos — Contra a corrupção.

Paulo de Almeida — Contra tudo o que está aí!

Tiago Santos— Contra tudo.

Paulo de Almeida — Legal, irmão. Parabéns por seu trabalho. Isso aqui mostra qual é a elite branca que está protestando. Esse é o retrato do brasileiro. É o retrato do povo.

Tiago recebeu R$ 50 de ajuda de uma senhora que lhe perguntou: “Esses são seus?” Referia-se aos cachorros. A contribuição, ela ressaltou, era para “contribuir com a ração dos lindos”. Outra preferiu colocar R$ 20 nas mãozinhas de Isabelle, prontamente tomados por Simone Gata. Foram muitas doações.

Humberto Costa Barbosa , advogado de São Bernardo, 55 anos, colocou um chapéu verde e amarelo em Tiago, para que ele aparecesse mais patriótico nas imagens. Mas tomou-lhe de volta o chapéu, assim que acabou a sessão de fotos. “Eu sou pobre”, disse, rindo alto.