Ídolos, imagens e fantasias

todas elas em seus devidos lugares

Photo by Brooke Hoyer

Amo os ídolos que criei do mundo
eles formaram meus ideais
mesmo drogados, e coberto por ilusões
as vezes de overdose, outros dinheiro e mansões
consumo o que criei para mim, não o que fizeram deles

Amo as imagens que guardei de você
seja na memória, ou em nossas “selfies” 
mesmo sendo apenas em um curto espaço de tempo
fomos feitos um pro outro
assim como contos de fadas que terminam em final feliz
fomos igualmente dependentes do amor por um dia sequer

Amo as fantasias que vesti para o mundo
para completar a ausência das minhas verdades
foram flores da mente me dopando com rosas, enquanto vestia espinhos
vivendo uma dualidade entre a fantasia e os seus personagens

Não sei dizer se é epifania ou cacofonia que me faz escrever
sei das ironias e muitas referências que uso para ser
estou longe de ser um ícone
jovens almejam fogo em carros, e amores selvagens
estou mais para bebidas baratas, e conversas banais
sou quase um escritor, mas sem escrever de fato