Curta-metragem

tudo tão cinza
tudo tão clichê
te vi com outro cara virando a esquina
quis desaparecer, mas nada compensa tua falta

nós parecemos a porra de um filme!

um curta-metragem com o tempo certo para o término
feito para ter uma trama envolvente, e um final irresponsável
talvez inesperado, não sei de fato quando foi que me ocorreu
mas suas mãos estavam frias durante semanas, e pensei que estivesse doente

comprei uns remédios pela manhã, mas quando voltei para o apê
só tinha um cheiro incomum de roupa lavada, e incenso
senti que perdi algo, então voltei para o carro
dirigi até o píer, acendi um cigarro e pensei em te ver

demorou algum tempo para entender o motivo de não haver nenhuma gaivota no píer, mas percebi que era a chegada do inverno e nessa época elas voam para o sul. fiquei me perguntando se era para lá que deveria ir, e fui.

depois de alguns anos voltei a escrever, consegui entregar um roteiro para uma agência, e iria para o bar comemorar. acontece que enquanto descia a ladeira da rua, te vi virar a esquina com suas mãos entrelaçadas com a de outro.

e ficou tudo tão cinza por um momento,
mas conseguia ver os letreiros neon dos bares.

e ficou tudo tão clichê por um momento,
mas consegui entrar no bar e pedir um vinho.

dessa vez só queria ser feliz por um momento, e esquecer a falta que você me faz.