Quando a inquietação gera uma descoberta

por Andressa Lemes

No tempo dos meus pais, permanecer 30 anos em uma mesma empresa era louvável. Tanto que os funcionários eram condecorados com placa, brinde e jantar com os colegas. Os tempos mudaram e 3 anos já parece muito. Por quase 3 anos, trabalhei como Assistente de Comunicação e Marketing no Colégio Marista Assunção em Porto Alegre. Lá, era responsável pela geração de conteúdo multimídia, comunicação interna, planejamento estratégico, organização de eventos, assessoria de imprensa… Enfim, eram muitas atividades e muita correria também.

Com o passar do tempo, começou aquela inquietação e a necessidade de viver novas experiências.

Afinal, o mundo é tão grande e deve ser desbravado. E com essa motivação, fui procurando cursos e áreas em que eu poderia me encaixar. Sempre gostei de estudar, conhecer, experimentar. Então, em uma dessas andanças da vida me apresentaram para o planejamento e eu me encantei. :)

Uma profissão em que eu posso saber de tudo de calçados femininos em um dia e, no outro, tudo sobre pet shop!? Eu quero!

Na minha busca por me tornar planner, decidi me especializar. E foi aí que começou a maratona de cursos. Comecei com alguns aqui em Porto Alegre e depois decidi desbravar São Paulo — fiz o Pocket de Planejamento de Comunicação da Miami ad School. Foi intenso, corrido com as idas e vindas e muito enriquecedor. Tive aula com feras, aprendi quais sites e revistas ler, onde pesquisar e que ter referências é tudo! No fim do curso, vi que era isso que eu queria, portanto precisava traçar um plano.

A meta era ir para agência.

Contudo, naquele momento, só surgiu uma vaga para atendimento. Como estava na pilha das descobertas, encarei o desafio para ficar mais próxima da área.

Mais um ciclo de aprendizagens intensas! Conhecendo clientes, prazos, gincanas para liberar materiais e todas as emoções que uma agência pode te proporcionar. Após sete meses, entrei na City, uma empresa de pesquisa de mercado de Porto Alegre que trabalha com informações do consumidor para apoiar projetos de desenvolvimento de produtos e/ou serviços a partir da Comunidade Criativa, uma ferramenta online de administração de comunidades cocriativas e reúne consumidores especialistas de todas as regiões do país.

Meu primeiro job de cocriação foi o Projeto Íris, que reuniu mais de 200 mulheres de seis regiões do Brasil.

Por cerca de 10 meses, falei com mulheres de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Pernambuco. Nosso objetivo era obter informações sobre seu perfil comportamental, o processo de compra e a percepção dos produtos e da marca Bebecê, empresa nacional de calçados femininos.

O kit da Bebecê deu boas-vindas às mulheres da comunidade.

Realizamos oito atividades com as participantes de setembro de 2015 a abril de 2016. A mais legal delas foi quando enviamos um calçado para a casa de cada uma e as desafiamos a criar quatro composições.

Com os mais de 800 looks recebidos, conseguimos analisar as diferenças regionais, a coordenação entre roupas e calçados, a linguagem corporal e mais uma infinidade de informações.

Ou seja, a partir de consumidoras, tivemos os insights para ajudar a marca.

E o mais legal de tudo isso? A interação com essa mulherada! Me diverti muito e acompanhei todas as conquistas delas na minha timeline no Facebook. Afinal, em 10 meses muita coisa pode acontecer! Inclusive, uma delas se casou com um dos calçados da Bebecê que enviamos!

Anne, 28, blogueira do Rio de Janeiro, ganhou seu Bebecê em novembro e usou-o em seu casamento, em abril deste ano. (Foto: Ale Grand)

Sim, a Anne Caroline Germano guardou a sapatilha vermelha que enviamos para ela em novembro para usar em seu grande dia. Em abril, recebemos as fotos do casamento: ela ficou divina, e a sapatilha encheu o look de personalidade! ❤

Foram 10 meses, 1.224 horas de trabalho, mais de 1.000 e-mails trocados, mais de 800 looks analisados, mais de 1.500 slides de relatórios, 900 entregas via Correios e 50 publicações espontâneas nas redes sociais. Ufa! Mas valeu a pena: o resultado do trabalho foi lindo! E o mais legal de tudo isso? Após dois anos de reviravoltas na carreira, finalmente encontrei meu lugar como planner. ;)


por Andressa Lemes: Gestora de Cocriação na City, inquieta, sonhadora, bailarina e entusiasta de reuniões com bolo.

As opiniões expressas aqui, bem como quaisquer comentários publicados, são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do grupo.

Updates: facebook | outras publicações de Jovens Planners

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.