Um dia desses a três anos atrás

Fonte (Pixabay)

Eu amo cartas. Desde sempre. Mas o contraditório é que escrevi poucas. Acho que as cartas, de forma implícita, dizem: Oi, tudo bem? Me importo com você e estou doando o meu tempo para te escrever. Para mesmo longe, estar com você.

Talvez eu só esteja sendo romântica.

Mas o fato é que essa semana recebi uma carta. Uma carta que fiz para mim a três anos. Falando assim parece muito tempo, mas aconteceu tanta coisa que parece décadas.

O engraçado é que não me lembrava o que estava escrito, então foi realmente uma surpresa. Foi divertido encontrar a Ana de 2014. E mais divertido ver o quanto mudei a forma de olhar o mundo. Me senti grata por ter tido a ideia de escrever aquela carta, mesmo que na época tenha achado uma ideia boba.

Em um ponto da carta eu me pergunto “Eu estou feliz? Acho que é isso que

a gente busca, não é?”

E para minha surpresa descobri que sim. Estou feliz com quem eu me tornei. A vida é perfeita? Não. Realizei todas as coisas que desejava? Não. Mas acho que essa é a diferença entre a Ana de 2014 e a de 2017. Tento fazer planos e não expectativas. Não é fácil, mas eu tento.

E por último vou repetir o conselho que está na carta, porque não quero me esquecer disso nunca.

“Eu só quero dizer que independente de como está a vida, ela é sua e só você pode mudar. Só você pode correr atrás de seus sonhos. Não deu certo, analisa os erros e levanta de novo e de novo e de novo, até conseguir.”

Você já escreveu uma carta para o seu futuro? Para mim foi uma experiência incrível. Vou repetir isso mais vezes.