Just Croatia: Hvar

Daniel Levi
May 27 · 6 min read

nicialmente, a Croácia seria apenas uma parada estratégica: voltaríamos pro Brasil de lá pois era mais barato. Ainda assim, nossa curiosidade era grande, tanto pelo que já havíamos visto (em Game of Thrones, por exemplo) mas também devido à opinião de amigos. O consenso era de que a Croácia era linda, e que valia muito a pena conhecê-la. Só não podíamos prever nosso último grande perrengue da viagem.

Nosso destino era a Ilha de Hvar. Chegaríamos de avião por Split e depois pegaríamos um ferry pra Hvar. Porém, não conseguimos embarcar a tempo, mesmo tendo recriminado — dias antes — aquelas pessoas que não conseguiam chegar no horário marcado para viajar. Karma is a bitch.

Após perdermos o voo Atenas-Split, tivemos que tomar outra providência a fim de sair da Grécia. Passou pela nossa cabeça a ideia absurda de desistir da Croácia e voltar de uma vez pro Brasil. Felizmente abortamos essa ideia e nos empenhamos em resolver nossa situação. Após muito penar durante um extenuante dia no aeroporto, avisamos nosso Airbnb em Hvar que só chegaríamos no dia seguinte (perdendo a diária e as passagens do barco que fazia a travessia Split-Hvar, claro). Descobrimos que só tinha voo para Split na semana seguinte e fomos forçados então a procurar algum voo para Dubrovnik, já que de lá também saíam barcos para Hvar. Doze horas depois, finalmente, conseguimos embarcar. Dormimos poucas horas numa pousada perto do porto de Dubrovnik (chegamos às 22h, famintos), levantamos às 6h e partimos pra Hvar.

Hvar é uma ilha muito procurada, principalmente no verão, por suas festas e praias, mas em setembro estava bem tranquila. Ficamos hospedados em Stari Grad, um vilarejo mais barato e mais tradicional do que Hvar central. De Split é possível pegar um barco direto para Stari Grad. Quando lá chegamos, tivemos certa dificuldade para pegar as chaves, mas o desencontro logo se resolveu e nos instalamos após comer (bem) num dos vários restaurantes da região.

Mais tarde pudemos perceber como era bonita nossa área. Nossa hospedagem em Stari Grad parecia uma casa de boneca: quatro andares, um cômodo por andar. Estávamos bem no centro histórico, onde somente pedestres podem circular por suas ruazinhas. As construções antigas, que se assemelhavam a vielas medievais, eram casas, livrarias, galerias, restaurantes e cafés. Havia desde aquele em que você entra e TODO MUNDO olha na sua direção — te fazendo pensar: “talvez não devesse estar aqui, lugar errado” — quanto aquele em que o anfitrião fica teu amigo e tenta te convencer — a todo custo — a esperar por uma mesa em seu estabelecimento lotado.

Mas o melhor de tudo ainda estava por vir: de posse de duas bicicletas disponibilizadas com a hospedagem, exploramos Stari Grad o máximo que pudemos. Pedalávamos tanto que chegava a doer. Mas valia a pena. A mistura daquela água cristalina, azul-turquesa, com o verde daquela vegetação exuberante, rivalizou com a beleza das ilhas gregas. A temperatura em Stari Grad começava a cair, e pegamos algo entre 18 e 21 graus. Nem sempre era possível entrar numa de suas praias, mas as pedaladas ajudavam.

As lavandas são típicas da região, e aquecem as vendas de souvenirs. Lemos que um passeio famoso é pelos campos de lavanda, então resolvemos desbravar a área pedalando, nos guiando pelo Google maps. Não conseguimos encontrar nenhuma lavanda, ou não estava na época. Por isso é melhor se informar antes de ir.

Visitamos o Castelo Tvrdalj e não recomendamos. As fotos do castelo são lindas, mas quando entramos ficamos decepcionados. Só tinha um folheto informativo, uma piscina e um andar na casa de pedra. Quando terminamos perguntamos ao funcionário se era só aquilo mesmo ou se tinha um segundo andar. Ele disse que o andar de cima era residencial e não conseguimos disfarçar nossa frustração diante da constatação de que a visita tinha acabado.

Quando a noite chegou vimos no quão aterrorizantes aquelas vielas se transformam dependendo da iluminação.

Vale a pena variar de restaurantes. Pedimos um prato de frutos do mar no restaurante Albatros que veio repleto de atum, camarão, lula, mexilhão, peixe e… tubarão. Excelente, recomendamos fortemente.

Assim como recomendamos a visita à Croácia, especialmente a Stari Grad, um lugar único, diferente de tudo que havíamos visto.


Onde ficamos:

Apartamento no Airbnb
(Quer R$179 de bônus? Se ainda não se cadastrou, clique aqui e garanta desconto para você e para nós)

Site: https://www.airbnb.com.br/rooms/24870480

JustJourneys

Experiências de um casal brasileiro viajando pelo mundo

Daniel Levi

Written by

JustJourneys

Experiências de um casal brasileiro viajando pelo mundo