Fim


Essa é a última partícula do universo.
Ela não tem muito para onde ir, mas está avançando e muito veloz, para um buraco negro, mais que isso, para “o buraco negro”.
Ela é um átomo de hidrogênio, elemento número 1, mais simples e leve da tabela periódica da Terra, que tem, nesse caso, a massa de 1,00793 daltons, ou, se prepare, apenas:

0,000000000000000000000000001673706994643 5 kg

Já o buraco negro para o qual se dirigia tinha uma massa substancialmente maior, ele havia se formado próximo do centro do universo e engolido estrelas, sistemas, galáxias, tudo. E tudo era bastante coisa. Conforme sugava e compactava partes do próprio universo dentro de si também crescia sua gravidade e cada vez mais se propulsionava e expandia sua área de captação. Sua massa aumentou exponencialmente ao passar no meio de grandes galáxias, e ganhou vários bônus ao sugar outros buracos negros, que no inicio lhe fizeram mudar o seu curso, mas próximo aos dias finais, em que sugara todo o universo, não lhe faziam cócegas.

Stephen Hawking, um monte de átomos que jaziam no buraco negro, ironicamente mais juntos agora do que quando se chamavam Stephen Hawking, propôs que os buracos negros deformavam a existência, deformavam o próprio espaço-tempo. Faziam isso até que sua massa fosse tão grande e sua gravidade tão potente que colabassem em si mesmos formando uma gota de matéria que se desprenderia num novo universo à parte. Hawking fez milhares de cálculos, se valeu de um incomensurável esforço e no final estava absolutamente certo. Só havia um pequeno problema, alguém muito menos inteligente com muito menos contas e preocupações com a precisão chamou o evento da criação de um universo de “singularidade”, e todo o problema estava em esse sujeito, que agora estava bem juntinho do primeiro, também ter acertado 100%. E o motivo de seu acerto foi não só uma grande sorte, ligada às variáveis linguísticas e de interpretação, mas também o fato, não explicado por nenhum dos dois amontoados de átomos, de que a massa necessária para colabar um buraco negro é exatamente a matéria de todo o universo. Assim só ocorreria uma vez, e seria singular.

Vamos poupá-lo da imensidão inimaginável que seria esse número e fazer a conta inversa com um número bem mais modesto, basta dizer que nesse momento faltam apenas 1,00793 daltons para chegar nessa massa.

Ambos os amontoados de átomos que disseram as coisas certas no momento propício agora esperavam lá dentro do buraco negro, embora não soubessem disso, por aquele ultimo átomo de hidrogênio do universo.

Ele cedeu à gravidade extrema junto com todos os outros átomos que estavam com ele na nuvem gasosa, e foram sugados numa linda espiral, aceleraram brutalmente e finalmente atravessam o horizonte de event…