A primeira vez que fui a um show sozinha

Essa semana recebi um convite inusitado: ir ao show de lançamento do primeiro CD da banda Barcamundi para ser uma espécie de repórter e dar a minha opinião sobre a performance da banda e do show em si.

Quando eu tinha 11 anos sonhava em ser jornalista. É claro que escrever matérias sobre bandas seria incrível, mas quando me deparei com essa missão — aos 27 anos e não-jornalista — entrei em pânico.

Parei por alguns minutos (na verdade, algumas horas) e decidi aceitar o convite. A indicação surgiu a partir do blog Hard Pressed, que conhece o vocalista da Barcamundi, mas que não poderia acompanhar o show e, assim, fazer um live review no blog.

Quando finalmente aceitei o convite, não pensei em um simples detalhe (que só me dei conta ao chegar no Solar de Botafogo): eu nunca tinha ido a um show sozinha. Foi a minha primeira vez.


Quem é Barcamundi?

Para nossa sorte, tem muita gente talentosa correndo atrás dos seus sonhos. Com a banda Barcamundi é assim. Seis talentosos jovens de Niterói que possuem um estilo inovador e um único propósito: fazer música boa!

O primeiro CD foi lançado em meados de 2015 e já está disponível no Spotify, iTunes e Deezer. No dia 19 de janeiro de 2016 foi lançado oficialmente, para amigos e para quem quisesse ouvir música de qualidade, no Solar.

O cenário estava lindo! Muito “clean”, jovem e moderno. Barquinhos de papel, de diferentes cores e tamanhos, foram pendurados juntos com outros origamis. Para completar, luzes brancas e coloridas no chão, entre uma caixa de som e outra. Uma decoração simples, entretanto de muito bom gosto.

Show de lançamento do primeiro CD no Solar de Botafogo

Uma grande reunião entre amigos

A sensação era de uma grande reunião entre amigos, reunidos para ouvir uma boa música juntos!

Com a casa lotada, amigos e familiares prestigiaram o lançamento do primeiro CD da banda. A plateia ouviu atentamente cada música e os fãs de carteirinha cantaram junto com João e Gabriela.

A reação após cada canção era a mesma: muitos aplausos!

“Todo dia” foi a música de abertura do show da Barcamundi e a sintonia entre os integrantes da banda era nítida. As vozes de Gabriela e João se complementam, de forma que nenhuma sobressai ou esconde a outra. Ambos muito entrosados, assim como os demais integrantes.

A canção “o trem e o pássaro” foi muito comemorada quando começou a ser cantada por João e foi incrível a maneira como, através do olhar do vocalista, consegui enxergar a importância e o carinho que ele tem por essa música em especial.


Originalidade não tem idade

As músicas são muito interessantes, com letras originais e de autoria dos próprios integrantes. A quantidade de instrumentos utilizados em cada canção é algo que nunca vi antes, de uma originalidade sem fim.

Para quem foi ao Solar curtir uma boa música, conseguiu.

Quem não conhecia a banda com certeza se surpreendeu positivamente com o talento dos seis integrantes mesmo com a pouca idade.

Aqueles que já acompanham o trabalho da Barcamundi, foi uma surpresa encontrar músicas inéditas e convidados especiais tão carismáticos. A banda conseguiu agradar todos os públicos com maestria.


Músicas inéditas e participações especiais

O show foi composto pelas músicas do CD da banda, além de algumas músicas inéditas e cantaram apenas um cover.

Cheio de participações especiais — foram seis, no total — amigos de outras bandas subiram ao palco, enriquecendo ainda mais o espetáculo.

Não me canso de falar: a quantidade (e qualidade) de instrumentos musicais presentes em cada música me surpreendeu. Para completar, Gabriela trás um toque feminino especial à banda, não deixando as músicas ficarem pesadas ou “frias” demais.


“Se você for embora vai chover demais”

“Se você for embora” é a música de abertura do primeiro CD, mas foi a última cantada antes da banda se despedir.

A maioria dos espectadores ficaram de pé, cantaram junto e aplaudiram durante toda a apresentação. Um, inclusive, abriu um guarda-chuva, em homenagem à letra:

“Eu vou usar o meu chapéu
Para evitar que minhas ideias se espalhem pelo céu
Ou vou usar um guarda-chuva
Pra guardar todos os meus sinais
Se você for embora vai chover demais”

Impossível ouvir apenas uma vez

É nítida a diversidade do background da banda, onde as canções e o estilo foram inspirados em grandes nomes da música nacional e da atual cena carioca, como: Banda MAR, Marcelo Jeneci e Cícero.

O que mais impressiona é a inovação e a criatividade de cada música, onde a inspiração em bandas nacionais e internacionais é clara, porém a Barcamundi consegue escapar do clichê.

A quantidade e diversidade de instrumentos utilizados entre uma música e outra é um dos pontos fortes da banda, no qual o espectador se depara com flauta, bongo, escaleta, entre outros. Sem contar os instrumentos tradicionais que “amarram” as canções.

É admirável o trabalho que está sendo realizado pela Barcamundi e o primeiro CD da banda, que você pode conferir no Sound Cloud da banda ;)

Espero que esse seja o primeiro de muitos CDs lançados por esses seis talentosos jovens e que possamos ouvir falar mais sobre o sucesso deles fora do Rio.


E sobre ir a um show sozinha? Melhor do que eu esperava.

A experiência é tudo.

Caso apareça a oportunidade de fazer algo nunca vivido antes, não pense duas vezes, “do it”! Com certeza a experiência será válida.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Laís Vargas’s story.