FUÁ: Primeiro ano da feira apresenta resultado bastante positivo

Mais de duzentos expositores, entre artistas e empreendedores, apresentaram suas produções, e mais de dez instituições beneficentes foram ajudadas pela Feira Urbana de Alternativas.

Por: Agaminon Sales, Alberto Vieira, Walter Franco e Yolanda Bento

Músicos locais na Feira Urbana de Alternativas (FUÁ). (Foto: divulgação)

A Feira Urbana de Alternativas (FUÁ), que completa neste domingo (7/5) um ano de realização, é uma feira colaborativa voltada à cultura amazonense, à sustentabilidade e à economia criativa. Entre as suas atrações estão feiras de criatividade, gastronomia, alimentos livres de agrotóxicos, exposições artísticas e fotográficas, palestras, debates, intervenções culturais e shows de bandas do cenário local. Com entrada gratuita, é realizada na sede da Fundação Amazonas Sustentável (FAS) no primeiro domingo de cada mês.

O FUÁ nasceu a partir da ideia de empreendedores da CasaCinco, empresa de arquitetura e design voltada para a criação e promoção de projetos e ideias sustentáveis. Sissy Mendes, uma das organizadoras do evento, define o FUÁ como uma “bagunça organizada”, devido a sua pluralidade de expositores, feirantes e atrações culturais. Essa característica se deu porque, no Amazonas, atividades culturais, até então, eram bastante polarizadas, isto é, feiras de arte, gastronomia e moda, por exemplo, aconteciam isoladamente.

Artistas regionais apresentam seus trabalhos no espaço do FUÁ. (Foto: divulgação)

Ainda segundo Sissy, as metas quanto à visibilidade, divulgação e alcance de público foram atingidas, porém a captação de recursos é um dos obstáculos que persistem desde a primeira edição do evento. “Tem muita gente na cidade que produz muita coisa boa, mas que não têm como custear os eventos, porque os serviços para você fazer um evento em Manaus são caros, e muitas vezes, quando você faz, acaba tendo nenhuma visibilidade”.

Pequenos empreendedores utilizam o espaço do FUÁ para apresentar seus produtos. (Foto: divulgação)

Até agora, mais de duzentos expositores, entre músicos, empreendedores e artistas plásticos, já tiveram seus trabalhos apresentados no FUÁ. Na última edição, realizada no mês de abril, o grupo denominado “Os mudadores de rua” organizou a arrecadação de doações no espaço da FAS, em sua maioria de alimentos não perecíveis, e doou para famílias indígenas do Parque das Tribos, no Tarumã. No total, dez instituições foram ajudadas pela feira.

Na avaliação da supervisora da coordenadoria institucional e parcerias da Fundação Amazonas Sustentável (FAS), Paula Gabriel, este número é uma comprovação da importância do evento. “A adesão do público em todas as edições mostra que realmente é um evento que deu muito certo, e a gente só quer que ele cresça e melhore cada vez mais”.

Empreendedorismo

Artesãos apresentam suas produções no FUÁ. (Foto: divulgação)

Para quem já participou do FUÁ, a feira é uma vitrine para seus negócios. Helen Suzan, da empresa de sobremesas Sweet Rocks, teve seus produtos apresentados em três edições do evento. “Vimos uma oportunidade para expor a Sweet Rocks, buscando novos clientes e fizemos inscrições até conseguir participar”.

Para Glória Gesta, empreendedora do ramo gastronômico, a experiência do Fuá serve como exemplo para outras feiras criativas de Manaus devido a sua diversidade de feirantes, clientes e atrações culturais. “É interessante porque reúne cultura e tem a pegada regional, e eu acho que isso é bastante legal, agrega valores para nossa terra. Estou com uma expectativa muito boa para a próxima edição”, conclui.

Retrospectiva

Assista ao vídeo de apresentação da Feira Urbana de Alternativas:

https://www.facebook.com/fuamanaus/videos/1142313835866176/

Galeria de Fotos:

https://medium.com/@LabF5/1%C2%AA-edi%C3%A7%C3%A3o-22-05-2016-6250f216ef23

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.