A reinvenção de Artur Moraes e Pequetito

Após demissões do rádio convencional, jornalistas se redescobriram com a web rádio “No pedacinho que a galera gosta”

Por Giulliana Santos, Isabelly Morais, Paola Laredo e Viviane Andrade

Artur Moraes (à esq.) e Pequetito estão à frente da webrádio “No pedacinho que a galera gosta” há nove meses (Foto: Giulliana Santos)

“Andar com fé eu vou, que a fé não costuma faiá”. O tradicional jargão do narrador esportivo Osvaldo Reis, o Pequetito, extraído do clássico de Gilberto Gil, sempre foi usado pelo profissional em suas transmissões. Nesses casos, ele resgata o verso para indicar o que, no futebol, é primordial: acreditar. Contudo, não só na modalidade.

O jornalismo é uma profissão que tem passado por muitas mudanças. Nos últimos anos, inúmeros veículos de comunicação reduziram seu quadro de funcionários substancialmente ou fecharam de vez suas portas. E, por isso, não só dentro das quatro linhas é fundamental que não se deixe de acreditar. Para Pequetito, o jargão que o acompanha há anos tornou-se mais que um suporte nas transmissões.

Em dezembro de 2016, o Grupo Globo fechou a Rádio Globo em Belo Horizonte, que operava com uma programação esportiva. Além do narrador, que estava lá há 14 anos, outros jornalistas foram demitidos: uma leva de mais de 30 profissionais que enfrentou a imprevisibilidade do campo da comunicação.

Pouco antes desse episódio, no início de 2016, o repórter esportivo Artur Moraes foi demitido da Rádio Itatiaia, após cerca de 19 anos na emissora. Setorista do Cruzeiro no veículo, o profissional iniciou um novo projeto radiofônico, mas em outra plataforma: ele criou a web rádio “No pedacinho que a galera gosta”.

Os dois jornalistas mencionados se encontravam por vezes em zonas mistas de estádios, embora no momento do jogo ocupassem lugares diferentes. O tema desta reportagem assentou-se, entretanto, no momento em que as carreiras desses profissionais se cruzaram de forma mais incisiva. O foco não foi a tortuosidade do caminho da comunicação, mas uma oportunidade tirada dela.

Artur Moraes está em uma das bandeiras da torcida organizada China Azul, feita quando ainda estava na Rádio Itatiaia (Foto: Reprodução)

Oportunidade essa que se manifestou justamente na web rádio “No pedacinho que a galera gosta”. Quando foi criada por Artur, há cerca de nove meses, Pequetito ainda integrava a equipe da Rádio Globo. A identificação do ex-jornalista da Rádio Itatiaia com a torcida do Cruzeiro era grande, e logo no começo ele já segmentou seu público: o torcedor celeste. Criou, então, esse projeto, cujo nome originou-se de um bordão de Artur em sua época na Itatiaia. Com a demissão de Pequetito, Artur o convidou para integrar a web rádio.

A web rádio pode ser ouvida pelo site, pelo aplicativo disponível para smartphones e também pelo Facebook, onde ela realmente ganha força. O site e o aplicativo disponibilizam a mesma transmissão, que no dia a dia é baseada em programação musical e transmite os jogos do Cruzeiro (quando o campeonato disputado fornece credenciais para rádios online), com narração de Pequetito e reportagem à beira do gramado feita por Artur. Enquanto isso, no Facebook, além dos jogos, ocorrem diversas transmissões ao vivo (as lives) de coletivas de imprensa, não só nos dias das partidas, mas também ao longo da semana, acompanhando os treinamentos e a preparação da equipe.

Os jornalistas voltaram, no dia 12 de junho, ao mundo do rádio convencional: integram agora a Rádio Super Notícia FM, que entrou no ar substituindo a Fã FM, na frequência 91,7. Eles estão envolvidos com programas diários, mas ainda não fizeram nenhuma transmissão in loco pela nova rádio, uma vez que alguns equipamentos ainda não chegaram. A expectativa é que, assim que começarem a transmitir as partidas, sejam disponibilizados links da Rádio Super na página da web rádio.

Entrevistamos Artur e Pequetito para conversarmos sobre o projeto “No pedacinho que a galera gosta” - como surgiu, como funciona e quais são as projeções -, sobre a relação deles com o rádio tradicional, a experiência no mundo do rádio online e as expectativas quanto à Super Notícia FM.

Durante entrevista no Mineirão, jornalistas falaram da importância do estádio em suas vidas (Foto: Matheus Adler)

Do outro lado do microfone

Marcada para o dia 27 de abril, a entrevista aconteceu no Mineirão, estádio marcante na carreira de ambos os jornalistas e o grande palco do futebol mineiro. A definição de uma data foi complicada, visto que os dois estavam com a agenda cheia. Logo na entrada do estádio, na área onde visitantes esperam para fazer a excursão pelo Museu do Futebol, uma situação curiosa nos chamou atenção.

Com os dois profissionais ao nosso lado, um homem via um vídeo de uma narração de Pequetito de um gol do Cruzeiro que ficou famosa após ser veiculada em um programa do canal SporTV. No Redação SporTV (veja vídeo abaixo), foram sincronizadas imagens do próprio Pequetito (feitas por Rodrigo Genta na cabine de transmissão) com o áudio da narração. Esse material viralizou, dada a emoção do narrador. O provável torcedor do Cruzeiro demonstrava incredulidade, até que confirmamos para ele que aquele narrador à sua frente era o mesmo que tomava a tela de seu celular. Após o cumprimento deles, seguimos para o gramado.

Pequetito narrando o gol de Thiago Neves, que garantiu a classificação do Cruzeiro para as oitavas de final da Copa do Brasil — Cruzeiro 1x2 São Paulo — (Vídeo: Reprodução/Youtube)

Dentro do estádio, foi a vez do trabalho de Artur Moraes se destacar. Em minutos, ele pegou sua bolsa com o equipamento que parece levar para todo lugar, sacou o microfone, o celular, e ali mesmo, na lateral do gramado do Mineirão, começou uma live no Facebook. Nesse momento, pudemos verificar o carinho e a atenção dos jornalistas conosco, uma vez que fizeram questão de contar o motivo de estarem no estádio e nos apresentar para quem os acompanhava ao vivo.

Era véspera de um clássico entre Cruzeiro e Atlético-MG, primeira partida da decisão do Campeonato Mineiro, que aconteceria no estádio. A discussão sobre a presença da torcida no jogo de volta, marcado para a Arena Independência, era o que mais se ouvia falar. Artur não perdeu a oportunidade. Ao saber que nos bastidores do Mineirão acontecia uma reunião entre as principais torcidas organizadas de Galo e Raposa - Galoucura e Máfia Azul, respectivamente - conseguiu entrevistar ao vivo um membro da organizada do Cruzeiro.

Artur e Pequetito durante uma transmissão ao vivo para o Facebook

A relação com o rádio

Artur Moraes contou que sempre gostou muito de futebol e que, desde criança, narrava jogos de futebol de botão. Ele iniciou no rádio aos 14 anos, em Campos dos Goytacazes (RJ), nas rádios Cultura e Campos Difusora, e disse que, já nessa época, encantou-se pelo Cruzeiro. Em Minas Gerais, depois de trabalhar na Rádio Manhuaçu por 16 anos, chegou à Itatiaia, onde passou quase 20 anos cobrindo a equipe celeste.

— Passei a ter um amor pelo Cruzeiro depois que me mudei para Campos dos Goytacazes, onde iniciei na comunicação no rádio. Vi o time do Cruzeiro que tinha Joãozinho, Nelinho e fiquei encantado, o que culminou nessa paixão que tenho pelo Cruzeiro. Mas sempre tive profissionalismo para separar a paixão — lembrou Artur.

Já Pequetito contou que, quando tinha cerca de nove ou dez anos, já brincava com narrações. Ele iniciou sua carreira em 1978, no Sul de Minas, e brincou ao demonstrar seu amor pelo rádio.

“Eu vivo em um país onde é proibida a bigamia, mas eu tenho dois casamentos e vivo com os dois: o rádio, minha paixão, e minha esposa, a Rejane. Era para estar preso, mas não estou. Vivo com o rádio e com a Rejane” — Pequetito.

Em 1994, Pequetito passou em um concurso na Rádio Inconfidência e se mudou para Belo Horizonte. Em 2002, foi para a Rádio Globo, emissora na qual permaneceu até seu fechamento - dia 5 de dezembro de 2016. Em 2013, Pequetito conquistou o título de melhor locução esportiva do ano, concedido pelo canal SporTV, graças à narração da partida entre Atlético-MG e Tijuana-MEX, pela Taça Libertadores da América daquele ano, quando o goleiro alvinegro Victor defendeu um pênalti com o pé esquerdo no fim do jogo e conduziu a equipe à semifinal do torneio continental.

A saída do rádio convencional

Em janeiro de 2016, Artur Moraes foi desligado da Rádio Itatiaia, que, segundo ele, decidiu alterar sua equipe e trazer jornalistas mais jovens. O repórter disse que deixou a rádio com surpresa, devido à sua identificação e credibilidade diante do torcedor cruzeirense. Ao ser procurada, a Itatiaia preferiu não se manifestar sobre o caso.

Artur Moraes fala sobre sua saída da Rádio Itatiaia

Ainda no ano passado, em dezembro, a Rádio Globo encerrou suas atividades em Belo Horizonte, dispensando cerca de 40 profissionais, entre equipe técnica, operadores de áudio e jornalistas, dentre os quais estava Pequetito. Na época, ele chegou a comentar brevemente sobre o assunto em seu perfil no Twitter.

Tweet de Pequetito informando aos seus seguidores sobre o desligamento do Sistema Globo de Rádio

Sobre o fechamento da rádio, Pequetito fez um desabafo:

Pequetito fala sobre dificuldades enfrentadas pelas rádios

Em seguida, Pequetito se emocionou ao lembrar do jogo Cruzeiro x Corinthians, que seria sua última transmissão pela Rádio Globo, dia 5 de dezembro do ano passado. No entanto, devido ao desastre envolvendo o vôo da Chapecoense, a rodada do Brasileirão foi adiada em uma semana e a rádio fechou antes que a partida se realizasse.

Pequetito se emociona ao lembrar saída do rádio

O momento da reinvenção

Ao sair da Itatiaia, Artur precisou se reinventar. Segundo ele, foi um momento difícil e de superação, em que chegou a pensar se seria o fim da sua história no rádio e se era o momento de encerrar sua carreira. Porém, aquela não era sua vontade, e ele precisava seguir em frente.

O recomeço veio quando se enveredou pelas redes sociais, com base na credibilidade conquistada ao longo desses anos. Hoje, a página da web rádio “No pedacinho que a galera gosta” possui mais de 80 mil seguidores e alcança 2 milhões de pessoas por mês, de acordo com os profissionais. Ele disse ter ficado impressionado com a resposta da web, que veio em um curto espaço de tempo. Artur recebeu enorme apoio e receptividade dos torcedores logo nas primeiras idas ao Mineirão depois de ter deixado o rádio convencional.

Assim que a Rádio Globo fechou, torcedores cruzeirenses falaram com Artur a respeito de Pequetito, que agora estava disponível no mercado. Poucas horas depois, ele entrou em contato com o narrador. Artur confessou que, apesar de conhecer Pequetito, um dos maiores narradores do estado, não o acompanhava, uma vez que ambos trabalhavam simultaneamente em rádios diferentes e não podiam acompanhar os trabalhos um do outro. No entanto, hoje se admiram e se elogiam bastante. Pequetito aceitou o convite de Artur e entrou para a web rádio no dia 9 de janeiro deste ano.

No pedacinho que a galera gosta

Aweb rádio “No pedacinho que a galera gosta” existe há cerca de nove meses. O pontapé inicial ocorreu no Facebook, por meio das transmissões ao vivo (lives). Depois veio a web rádio, via site e aplicativo, por ser um meio muito mais dinâmico e de alcance mundial.

Artur relatou que teve muita dificuldade na parte tecnológica no início. Entretanto, isso não foi um problema, porque ele terceirizou os serviços técnicos e a maior parte da aparelhagem. Hoje a web rádio conta com três operadores: o que administra a página, o que transmite (dos equipamentos para a internet) e o operador de áudio. O principal responsável por essa parte operacional é Antônio Carlos “Pardal”.

A equipe completa da web rádio possui cerca de 12 ou 13 pessoas. As transmissões de jogos movimentam, em média, sete integrantes. O repórter Sulimar Silva acompanha o dia a dia de treinamentos e coletivas na Toca da Raposa II, enquanto Rodrigo Genta acompanha Pequetito na cabine de transmissão, comentando as partidas ao lado do narrador.

Interação dos torcedores durante a transmissão de uma partida via aplicativo (à esq.) e Facebook (Foto: Reprodução)

Artur disse que hoje sua vida é mais corrida do que nos tempos de rádio convencional, uma vez que o volume de informações é muito grande e chega a todo momento, precisando ser devidamente apurado junto às fontes. Como a interação recebida é muito grande, ele acredita que é necessário dinamizar e melhorar as transmissões diárias e musicais da web rádio via aplicativo.

Pelo Facebook, são realizadas muitas lives ao longo do dia com informações e transmissões de coletivas de imprensa direto da Toca. A transmissão dos jogos é feita como no rádio convencional: Artur desce para o gramado com um microfone sem fio, e Antônio Carlos “Pardal” é responsável por toda a aparelhagem, terceirizada. A web rádio sobrevive por meio de patrocínios que são anunciados tanto na página do Facebook quanto no site e no aplicativo.

A geração dos ouvintes-internautas

Pequetito citou a transmidiatização e o hipertexto, lembrando da integração entre imagem, som e texto, o que forma uma corrente infinita. O rádio sempre tem transmissões ao vivo, algumas produções gravadas e muito improviso. Os grandes repórteres e comentaristas da TV vieram do rádio, segundo o narrador. Ele citou, também, a sintonia entre os profissionais da web rádio e lembrou dos compartilhamentos e visualizações que teve o vídeo dele narrando um gol de Arrascaeta: Rodrigo Genta, no estádio, costuma fazer vídeos de Pequetito narrando gols, e esses materiais se espalham, dada a empolgação assumida pelo narrador.

O Redação SporTV, programa do canal fechado SporTV, mostrou recentemente algumas narrações de Pequetito em seu quadro “Redação AM”, incluindo os vídeos feitos por Genta, como aconteceu com o gol de Arrascaeta anteriormente citado (link do SporTV). O jornalista comentou sobre a importância disso. “O SporTV, até então, é o canal de TV fechada de maior audiência no Brasil, que vai para fora”, enfatizou.

Pequetito citou a interação dos ouvintes com a web rádio, por meio das redes sociais. Ao lado de Artur Moraes, comentou que a web rádio deles pode influenciar outros projetos.

— Como será a cobertura da Copa do Mundo do Catar? Será que vão acabar com os direitos exclusivos? Será que só uma emissora vai conseguir pagar para transmitir? Uma web rádio não conseguirá? Muita mudança virá por aí. Hoje não se pode mais tratar o ouvinte. Ele é ouvinte-internauta. Porque a molecada ‘tá’ sentada, assistindo ao jogo na televisão com celular na mão, mandando mensagem para todos os grupos de WhatsApp, Twitter… E corrigem o narrador quando ele fala algo errado. No meu TCC, defendido há quatro anos, falei sobre a contribuição das redes sociais - Facebook e Twitter - na transmissão esportiva do futebol no rádio. O ouvinte se sente como se estivesse com o Artur comentando.

Um dos bordões mais famosos de Pequetito está registrado na zona mista do Mineirão (Foto: Matheus Adler)

Pequetito relembrou um jogo que transmitia pela Rádio Globo, onde o meia Montillo marcou um gol pelo Cruzeiro. Segundo o narrador, a assessoria de comunicação do clube chegou a afirmar que aquele gol colocava o argentino como o maior artilheiro estrangeiro da Raposa, informação repassada pela Rádio Globo aos seus ouvintes. Imediatamente, um deles desmentiu a informação. “O ouvinte se sente ao seu lado”, resumiu.

Super Notícia FM

Artur Moraes e Pequetito acreditam que a visibilidade e o sucesso da web rádio proporcionaram o convite que receberam para o novo projeto que se iniciou. Os dois retornaram ao rádio tradicional com a Super Notícia FM, na frequência 91,7. Artur afirma que essa rádio pode representar uma mudança significativa na comunicação mineira, porque é um projeto que vem muito forte, não só pelos profissionais contratados, mas também pela estrutura e por ser de um grupo vencedor (Sempre Editora), segundo ele. É o grupo do empresário e atual prefeito de Betim, Vittorio Medioli, dono da empresa de transportes Sada, das equipes de vôlei e futebol americano Sada Cruzeiro e de jornais como O Tempo e Super Notícia, que inaugurou agora sua rádio.

Ao falar sobre o convite, Artur disse que sempre sentiu que voltaria ao rádio tradicional. “Eu sabia, eu tinha essa convicção que eu voltaria ao rádio convencional. Muita gente falava comigo: ‘olha, você é um exemplo na comunicação’. E eu sei que eu participei de, no mínimo, quatro ou cinco gerações, fora outras. Pessoas que cresceram me ouvindo. Então, a gente passa a ser uma referência da comunicação e está ciente dessa responsabilidade”, pontuou.

A Rádio Globo foi fechada no dia 5 de dezembro do ano passado, e Pequetito recebeu um telefonema de Chico Maia, que disse que tinha indicado o profissional para esse projeto. Dias depois, Rogério Maurício (editor-chefe do jornal Super Notícia e coordenador geral da rádio) entrou em contato com o locutor, e eles firmaram o acordo.

Pequetito e Artur já estão no ar pela Rádio Super Notícia FM (Foto: Divulgação/O Tempo)

Na Super Notícia FM, Artur voltará a ser setorista do Cruzeiro, cobrindo o dia a dia da equipe, enquanto Pequetito irá narrar jogos e apresentar um programa esportivo. Eles garantiram que a web rádio não acabará, pois as transmissões dos jogos do Cruzeiro serão repassadas à web rádio, com a devida liberação da direção.

Já no final da entrevista, Artur Moraes disse estar vivendo um sonho ao retornar para o rádio convencional, que diz ser a sua vida, sua grande paixão. “Eu me julgo um vencedor. Com toda a minha humildade, mas me julgo um vencedor na carreira, na profissão. Sou muito querido, espelhado por muita gente, e isso que é gratificante. Nós estamos rejuvenescidos, prontos para começar tudo de novo, como se estivéssemos iniciando a carreira. É um novo desafio e a confiança é muito grande”, comentou.

Em seguida, Pequetito completou: “A extensão da nossa casa é aqui, é o estádio de futebol. Digo que sou um contador das emoções dos estádios de futebol. Sou um contador dessas histórias. O narrador é isso. Eu relato o que acontece aqui. Rádio é um veículo mágico, porque você passar tudo para quem está ouvindo, mesmo longe”.

Por fim, os jornalistas deixaram uma mensagem aos estudantes de jornalismo:

Artur Moraes e Pequetito deixam um recado aos estudantes de jornalismo
Da esquerda para a direita: Paola, Viviane, Artur, Pequetito, Isabelly e Giulliana (Foto: Matheus Adler)

Agradecimentos: aos jornalistas Artur Moraes e Osvaldo Reis “Pequetito” pela atenção durante todo o processo de apuração e produção desta reportagem; à assessoria do Estádio Mineirão, representada por Rivelle Nunes, pela prontidão no atendimento à nossa solicitação; a Matheus Adler, pelo apoio técnico na entrevista; e ao professor Carlos d’Andréa, pela orientação e acompanhamento no decorrer do projeto.


Esta reportagem foi produzida na disciplina Projetos B1 do curso de Comunicação Social/Jornalismo da UFMG (prof. Carlos d’Andréa). Para ver outras reportagens sobre projetos jornalísticos sediados em Belo Horizonte, visite a publicação LabCon/UFMG (https://medium.com/labcon-ufmg)