Mescuta — Experimentos iniciais: Semana 02

Dando continuidade a nossas postagens sobre o projeto Mescuta, vamos contar um pouquinho mais sobre como a coisa toda surgiu pra entender nossos passos atuais. Pois bem: começamos a pensar no ano passado sobre as vantagens de se ter um chatbot — um assistente virtual que pudesse responder às perguntas do cidadão — para substituir a seção de FAQ ou de Perguntas Frequentes no portal da Câmara.

Começamos os testes com o DialogFlow — uma plataforma da Google para construir interfaces de conversação para bots. Também fizemos reuniões com outros órgãos, como a Anvisa, Ministério do Planejamento, TCU, dentre outros. Uma das reuniões, inclusive, gerou um debate ao vivo no nosso canal do Youtube.

Depois dessa troca de ideias, e ampliando um pouco o objetivo do projeto, pensamos que o chatbot — além de dar respostas estáticas típicas de um FAQ — seria capaz de apresentar respostas dinâmicas. O chatbot deveria responder, por exemplo, sobre projetos em votação, sessões e reuniões legislativas em andamento, além de aprender com os diferentes interesses dos cidadãos.

Mais recentemente, surgiu um novo objetivo: a ideia do chatbot ser uma interface para estreitar o relacionamento entre cidadão e deputado, o “Mescuta”. E onde estamos? Numa fase de pesquisa. Começamos a testar a plataforma desenvolvida pela startup AppCívico, chamada MandatoAberto. Fizemos uma análise de interface, identificando problemas que precisaríamos resolver antes de submeter o projeto a testes de usuários aqui na Câmara.

Vamos ver no que dá. Nossa ideia é ajudar a construir uma tecnologia que sirva para aproximar mais os cidadãos e seus deputados. Entendemos que um caminho para isso é compartilhar informações, necessidades e dados (ex. o dia-a-dia do gabinete, perguntas mais comuns, opinião do deputado sobre um determinado tema, etc.). Em paralelo, a startup também vai melhorando sua tecnologia. Quem sabe poderemos ter um produto que possa ser utilizado por nós ou, ao menos, um produto melhor para outros.

É uma experimentação aberta. Pretendemos fazer outros testes e trocas de informações com startups diferentes. Estamos abertos a ideias. E você? Tem alguma sugestão ou uma informação pra compartilhar com a gente?

Texto da semana escrito pelo Diego, hacker do Lab